Estados vão divulgar o Nordeste em conjunto

Governo estaduais criaram consórcio para vender o Nordeste como um roteiro integrado e também pedem mais recursos federais

Reunião dos secretários de turismo do NordesteReunião dos secretários de turismo do Nordeste - Foto: Léo Malafaia/ Folha de Pernambuco

Ações conjuntas estão sendo estruturadas pelos secretários de Turismo de todos os estados do Nordeste para incentivar a aviação regional, com redução de tarifas aeroportuárias e, principalmente, vender os atrativos da Região em outros países. Ontem, todos os secretários da pasta e o secretário executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, se reuniram na Secretaria de Turismo de Pernambuco para definir ações e fazer uma cobrança oficial ao Governo Federal a fim de buscar recursos.

Nacionalmente, uma política para reduzir as passagens aéreas está dentro das ações prioritárias. Segundo o secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco, o Governo Federal deveria ter maior atuação, já que vários estados - como Pernambuco, Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte - reduziram a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do querosene de aviação - Pernambuco teve uma redução para 12%, em média.

“A gente entende que estamos cedendo muito em relação à politica de incentivo do ICMS e o Governo Federal não fez a parte dele. Nenhuma das empresas low cost, que operam a baixo custo, demostraram a princípio interesse de fazer voos dentro do Brasil por conta das altas taxas cobradas dentro do País, do alto valor do combustível e da difícil jornada de trabalho dos pilotos”, explicou o secretário.

Leia também:
Estado de Pernambuco prepara ações para o turismo
Empresas lançam três estilos de picolé de cerveja


Por isso, o grupo de gestores está elaborando novas estratégias. “O Governo Federal tem que mostrar uma política de incentivo aos voos regionais. Por exemplo, Bahia, Pernambuco e Ceará têm estrutura para fazer voos domésticos. O governo tem como diminuir a tributação, por exemplo, que é elevada, diminuir taxas aeroportuárias, e fazer ações de marketing no exterior para vender o Brasil”, disse Franco.

Segundo o secretário de Turismo de Pernambuco, Rodrigo Novaes, é preciso destravar esses gargalos para colocar o Nordeste em maior visibilidade. “Temos dificuldade na promoção e precisamos ter valor das passagens aéreas mais baixas. Os estados pagam o preço pela redução do ICMS do combustível, a União ainda não fez a sua parte, por isso precisamos que o Governo Federal atue”, registrou Novaes.

Em relação a uma política internacional, Novaes afirma que o Nordeste pode crescer. “Esse consórcio pode surtir efeito para o turismo da região porque criamos uma articulação para vender o Nordeste como um destino integrado. Então vamos participar de feiras internacionais, como a da França, em setembro, como um estande único do Nordeste”, disse Novaes.

Ainda de acordo com ele, estão sendo articulados projetos para conseguir liberação de recursos que melhorem a infraestrutura de Pernambuco. “Duplicação da PE-60, requalificação do Centro de Convenções e requalificação da ilhota da Coroa do Avião estão dentro dos planos. Esperamos que seja aprovado um novo Prodetur para contrair empréstimos ou liberação voluntária de recursos”, afirmou Novaes.

Veja também

É cedo para dizer se haverá depreciação de carros da Ford após fechamento de fábricas
Ford

É cedo para dizer se haverá depreciação de carros da Ford após fechamento de fábricas

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 13 milhões
Sorteio

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 13 milhões