Estados vão divulgar o Nordeste em conjunto

Governo estaduais criaram consórcio para vender o Nordeste como um roteiro integrado e também pedem mais recursos federais

Reunião dos secretários de turismo do NordesteReunião dos secretários de turismo do Nordeste - Foto: Léo Malafaia/ Folha de Pernambuco

Ações conjuntas estão sendo estruturadas pelos secretários de Turismo de todos os estados do Nordeste para incentivar a aviação regional, com redução de tarifas aeroportuárias e, principalmente, vender os atrativos da Região em outros países. Ontem, todos os secretários da pasta e o secretário executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, se reuniram na Secretaria de Turismo de Pernambuco para definir ações e fazer uma cobrança oficial ao Governo Federal a fim de buscar recursos.

Nacionalmente, uma política para reduzir as passagens aéreas está dentro das ações prioritárias. Segundo o secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco, o Governo Federal deveria ter maior atuação, já que vários estados - como Pernambuco, Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte - reduziram a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do querosene de aviação - Pernambuco teve uma redução para 12%, em média.

“A gente entende que estamos cedendo muito em relação à politica de incentivo do ICMS e o Governo Federal não fez a parte dele. Nenhuma das empresas low cost, que operam a baixo custo, demostraram a princípio interesse de fazer voos dentro do Brasil por conta das altas taxas cobradas dentro do País, do alto valor do combustível e da difícil jornada de trabalho dos pilotos”, explicou o secretário.

Leia também:
Estado de Pernambuco prepara ações para o turismo
Empresas lançam três estilos de picolé de cerveja


Por isso, o grupo de gestores está elaborando novas estratégias. “O Governo Federal tem que mostrar uma política de incentivo aos voos regionais. Por exemplo, Bahia, Pernambuco e Ceará têm estrutura para fazer voos domésticos. O governo tem como diminuir a tributação, por exemplo, que é elevada, diminuir taxas aeroportuárias, e fazer ações de marketing no exterior para vender o Brasil”, disse Franco.

Segundo o secretário de Turismo de Pernambuco, Rodrigo Novaes, é preciso destravar esses gargalos para colocar o Nordeste em maior visibilidade. “Temos dificuldade na promoção e precisamos ter valor das passagens aéreas mais baixas. Os estados pagam o preço pela redução do ICMS do combustível, a União ainda não fez a sua parte, por isso precisamos que o Governo Federal atue”, registrou Novaes.

Em relação a uma política internacional, Novaes afirma que o Nordeste pode crescer. “Esse consórcio pode surtir efeito para o turismo da região porque criamos uma articulação para vender o Nordeste como um destino integrado. Então vamos participar de feiras internacionais, como a da França, em setembro, como um estande único do Nordeste”, disse Novaes.

Ainda de acordo com ele, estão sendo articulados projetos para conseguir liberação de recursos que melhorem a infraestrutura de Pernambuco. “Duplicação da PE-60, requalificação do Centro de Convenções e requalificação da ilhota da Coroa do Avião estão dentro dos planos. Esperamos que seja aprovado um novo Prodetur para contrair empréstimos ou liberação voluntária de recursos”, afirmou Novaes.

Veja também

Loja de fábrica da Magnum Tires abre nova filial no RecifeFMOTORS

Loja de fábrica da Magnum Tires abre nova filial no Recife

Veja o que mudou na nova Fiat Fiorino, que encosta na casa dos R$ 100 milFMOTORS

Veja o que mudou na nova Fiat Fiorino, que encosta na casa dos R$ 100 mil