Estradas no país têm 540 pontos de obstrução, diz ministro

Jungmann afirmou que já são 52 inquéritos abertos, número superior aos 37 divulgados no fim de semana. Segundo ele, a maioria dos investigados já foi intimada para prestar depoimentos. Segundo o ministro do Gabinete de Segurança Pública, Sergio Etchegoyen

Raul Jungmann no LideRaul Jungmann no Lide - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou nesta quarta-feira (30) que o país enfrenta atualmente 540 pontos de concentração nas vias de todo o país. Segundo ele, são apenas dois pontos de obstrução total, os demais, são definidos pelo governo como "aglomerações".

Ele fez esclarecimentos ainda sobre as investigações que a Polícia Federal vem conduzindo para apurara a prática de locaute, quando empresas se aproveitam de manifestações de trabalhadores.

Jungmann afirmou que já são 52 inquéritos abertos, número superior aos 37 divulgados no fim de semana. Segundo ele, a maioria dos investigados já foi intimada para prestar depoimentos. Segundo o ministro do Gabinete de Segurança Pública, Sergio Etchegoyen, as ações do governo ajudaram a melhorar a distribuição de produtos no país. Ele informou que uma das prioridades é a distribuição de óleo diesel, que é usado no transporte de diversas mercadorias.

Leia também:
Caminhoneiros perdem o apoio da população
Confederação de caminhoneiros denuncia infiltração e pede fim da greve

O governo informou que atualmente 36 milhões de litros de diesel foram distribuídos, o que corresponde a 53% da normalidade. "Nós certamente nos preocupamos com diesel porque é o que transporta todo o resto. Sem diesel a gente não transporta diesel, gasolina, o que vai se comprar nas prateleiras de supermercados", afirmou.

Veja também

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial
Benefício

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão
Restrições

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão