Estudantes da UFPE vencem hackathon Nasa Space Apps Challenge

Opta trata de temas como aquecimento global e mudança climática são abordados de forma acessível

Equipe da "Opta", da UFPE, que venceu o Nasa Space Apps ChallengeEquipe da "Opta", da UFPE, que venceu o Nasa Space Apps Challenge - Foto: UFPE/Divulgação

Estudantes da Universidade Federal de Pernambuco venceram o Nasa Space Apps Challenge, um hackathon promovido globalmente pela Nasa. A edição do Recife foi realizada no espaço Apolo 235 do Porto Digital nos dias 18 e 20 deste mês.

A equipe que conquistou a primeira posição é formada pelos estudantes Amanda Gomes (Design), Claudio Oliveira (Ciência da Computação), Jônathas Souza (Design) e Marina Araújo (Design) e pela bióloga Beatriz Melo, formada pela UFPE.

Elaborado para ser usado em sala de aula por professores de ciências, o projeto chamado “Opta” é uma plataforma web que usa a base de dados da Nasa para criar um ambiente gamificado, voltado para alunos de 12 a 13 anos. Temas como aquecimento global e mudança climática são abordados de forma acessível, em linguagem didática. “Nosso objetivo é fazer as crianças perceberem o impacto de suas ações no futuro”, explica Marina Araújo.

No hackathon, os participantes recebem desafios reais desenvolvidos pela Agência Espacial Americana e, para solucionar as questões, recebem acesso a dados da Nasa. Os participantes formam suas equipes e trabalham de forma intensiva para criar uma solução dentro do tema escolhido em 48 horas, com o desejo de criar soluções de impacto mundial.

No caso do projeto “Opta”, as escolhas cotidianas entre carro e bicicleta ou entre alimentação baseada em produtos animais ou vegetais foram calculadas em pegadas de carbono deixadas no planeta, de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). “Esta agenda é um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade”, define a ONU.

A equipe está trabalhando no projeto para participar da competição mundial e já ganhou, na competição local, quatro semanas de intercâmbio e óculos de realidade virtual, dentre outros prêmios.

Os dois primeiros lugares vão participar da etapa global, cujo prêmio principal é uma visita ao Nasa Kennedy Space Center, na Flórida, nos Estados Unidos.

Leia também:
LoL: UFPE Red Lions é eliminada nos JUBs 2019
Google estimula aplicativos para empreendedores
1º dia do Cresça com o Google apresenta ferramentas digitais para profissionais e estudantes 

BLACK BIRD

Composto por ex-alunos da UFPE, outro grupo de participantes conquistou o 3º lugar na competição. Beatriz Camboim (Engenharia Elétrica), Gabriel H. Lins (Biomedicina), Guilherme Daguir (Design), Gerson Ramos (Sistemas de Informação) e Vitória Melquiades (Administração) criaram o projeto Black Bird, solução para monitorar, conter e reutilizar o petróleo no oceano, da costa até as águas intercontinentais. “Focamos em impactar todo o ecossistema do problema”, afirma Gabriel H. Lins.

Veja também

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 60 milhões
Loteria

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 60 milhões

Violência contra a mulher também é um problema econômico, diz presidente da Avon
Avon

Violência contra a mulher também é problema econômico, diz presidente