Estudo

Estudos destacam que o e-commerce internacional representa apenas 0,5% do total das vendas do varejo

Apesar do crescimento nos últimos anos, o setor ainda representa apenas cerca de 7,8% do varejo

VarejoVarejo - Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Estudo da Tendências Consultoria, encomendado pelo Alibaba Group, analisou que o comércio eletrônico internacional, também conhecido como cross-border, representa 0,5% do total das vendas do varejo brasileiro.

O estudo mostra que em 2022, dado público mais recente do Observatório do Comércio Eletrônico Nacional do Governo Federal, o comércio eletrônico registrou vendas totais de R$ 187,1 bilhões.

Apesar do crescimento nos últimos anos, o setor ainda representa apenas cerca de 7,8% do varejo, que alcançou a marca de R$ 2,3 trilhões no mesmo período.

Para itens importados de pequeno valor essa participação é ainda menor, correspondendo a aproximadamente R$1 bilhão por mês, o que equivale a 6,4% do comércio eletrônico nacional e apenas 0,5% das vendas do varejo nacional, de acordo com a análise.

Consumidores são contra o aumento da alíquota
Paralelamente, uma pesquisa conduzida pelo Plano CDE, entre setembro e novembro de 2023, analisou o comportamento de compra online de homens e mulheres, de 18 a 60 anos, revelando insights importantes sobre as novas práticas dos consumidores brasileiros A pesquisa indicou que 90% dos consumidores são contra a alíquota de 92% e 84% acredita que a taxa justa de impostos a ser paga é de até 20%, como já é praticado hoje em compras até 50 dólares.

Destaca-se que, nos três meses anteriores à pesquisa (setembro a novembro de 2023), uma expressiva maioria de 94% dos consumidores já havia realizado compras online. Dentre essas transações, 44% foram efetuadas por meio de plataformas estrangeiras. Porém, 66% dos consumidores brasileiros afirmaram ter desistido de suas compras internacionais após a inclusão de taxas, e 45% desses consumidores não realizaram a compra em outra loja, seja internacional ou do comércio local.

Esses materiais produzidos refletem as preocupações dos consumidores em ter acesso a produtos exclusivos das plataformas Além disso, os dados coletados apontam para uma conscientização e resistência crescentes entre os consumidores em relação aos custos adicionais de impostos, ressaltando a necessidade de políticas que considerem tanto a competitividade do mercado quanto o bem-estar do consumidor brasileiro.

Sobre o AliExpress - Lançado em 2010, AliExpress é uma plataforma de e-commerce business-to-consumer (B2C) que possibilita consumidores a comprarem diretamente de fabricantes e distribuidores da China e de todo o mundo. Além da versão global em inglês, a plataforma do AliExpress também está disponível em outras 17 línguas. AliExpress é parte do Alibaba International Digital Commerce Group.   

Veja também

China pode multar PwC por auditoria da Evergrande, gigante imobiliária que entrou em crise
fraude

China pode multar PwC por auditoria da Evergrande, gigante imobiliária que entrou em crise

Feriado de Corpus Christi e maratona aquecem ocupação hoteleira no Rio
Rio de Janeiro

Feriado de Corpus Christi e maratona aquecem ocupação hoteleira no Rio

Newsletter