SETOR

Executivos do setor projetam alta de 10% no varejo no primeiro tri de 2021

A alta, segundo o Ibevar, deve ser puxada principalmente pelos segmentos de móveis e eletrodomésticos, tecidos, vestuários e calçados e materiais de construção

Dados divulgados pelo IBGE mostram que, após seis meses seguidos de alta, o volume de vendas no varejo perdeu ritmo e registrou queda de 0,1% em novembro de 2020Dados divulgados pelo IBGE mostram que, após seis meses seguidos de alta, o volume de vendas no varejo perdeu ritmo e registrou queda de 0,1% em novembro de 2020 - Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O volume de vendas no varejo deve ter alta de 10,34% no acumulado do primeiro trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo projeções do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar).

Já no varejo ampliado, que inclui os segmentos de veículos, motos, partes e peças e materiais de construção, a expectativa do setor é de um crescimento um pouco mais modesto no acumulado do primeiro trimestre: 9,5%.

A alta, segundo o Ibevar, deve ser puxada principalmente pelos segmentos de móveis e eletrodomésticos (38%); tecidos, vestuários e calçados (28%); e materiais de construção (24%).



O setor, no entanto, espera uma forte queda na venda de livros, jornais, revistas e papelaria (-23%).

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última sexta-feira (15) mostram que, após seis meses seguidos de alta, o volume de vendas no varejo perdeu ritmo e registrou queda de 0,1% em novembro de 2020. No acumulado de 2020 até novembro, comparado a igual período do ano anterior, o varejo apresentou alta de 1,2%.

Veja também

Receita recebe 438 mil declarações do IR no primeiro dia de entrega
Economia

Receita recebe 438 mil declarações do IR no primeiro dia de entrega

Bolsonaro anuncia decreto para zerar impostos federais do diesel e gás de cozinha
Economia

Bolsonaro anuncia decreto para zerar impostos federais do diesel e gás de cozinha