Exportações italianas ao Brasil voltarão a crescer em 2017, diz agência

A estimativa está no relatório "Focus On", elaborado pela Sace, agência de incentivo às exportações da Itália

Frente Popular do governador Paulo Câmara (PSB) em campanha no SertãoFrente Popular do governador Paulo Câmara (PSB) em campanha no Sertão - Foto: Hélia Scheppa/PSB

Após uma queda de 17,4% em 2015, as exportações da Itália para o Brasil podem crescer a um ritmo de 3% ao ano no triênio 2017-2019, principalmente por causa dos setores de transportes, vestuário, têxtil, mecânico e químico-farmacêutico. As informações são da Agência ANSA.

A estimativa está no relatório "Focus On", elaborado pela Sace, agência de incentivo às exportações da Itália. Segundo o documento, o Brasil não soube capitalizar os benefícios do boom econômico de 2010, da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 e acabou entrando em recessão.

No entanto, apesar do momento difícil ainda enfrentado pela economia brasileira, a Sace prevê que em 2017 comecem a aparecer sinais de recuperação. Segundo a agência, o Brasil possui uma estrutura econômica diversificada, recursos naturais, renda per capita alta, sistema financeiro sólido e dívida externa equilibrada.

Por outro lado, de acordo com a agência italiana de incentivo às exportações, o Brasil ainda convive com problemas de corrupção, carência de mão de obra qualificada, baixos níveis de produtividade, burocracia lenta e protecionismo. Pelas previsões do governo de Michel Temer, o Produto Interno Bruto (PIB) nacional deve fechar 2016 com queda de 3,5%.

Veja também

Shoppings já se preparam para o Natal
Varejo

Shoppings já se preparam para o Natal

237 mil trabalhadores com salário reduzido têm atraso em benefício do governo
economia

237 mil trabalhadores com salário reduzido têm atraso em benefício do governo