Fábrica de álcool gel é interditada pelo Procon Pernambuco

Produto tinha concentração de álcool abaixo dos 70%

Fiscais do Procon Pernambuco Fiscais do Procon Pernambuco  - Foto: Divulgação/Procon Pernambuco

O Procon Pernambuco interditou na manhã desta terça-feira, a fábrica Valença Química, que fabricava e comercializava álcool em gel, abaixo dos 70%, porcentagem recomendada para o efeito bactericida. O órgão chegou ao local após receber denúncias. O produto, que leva o nome da fábrica, foi encaminhado para perícia no Instituto de Criminalística (IC), onde foi diagnosticado que a porcentagem do álcool ficava entre 58,96% e 61%, ao contrário do informado no rótulo.

A fábrica ficará interditada por tem indeterminado e cerca de 60 caixas de álcool foram apreendidas. Cada caixa contava com 24 unidades do produto, com 500 ml cada. Os fiscais também foram até a loja, localizada no bairro de Afogados. No estabelecimento, foram apreendidas 105 unidades de 500 ml do produto e 17 unidades, de cinco litros, cada uma.

Leia também:
Procon fiscaliza agências bancárias na Ceasa
Procon-PE autua supermercado Deskontão, na Zona Norte do Recife
Procon-PE fecha 143 estabelecimentos para cumprimento da quarentena


O álcool 70%, nas versões líquidas e gel, tornou-se um produto aliado na higienização de locais e mãos para o combate do novo coronavírus. A interdição do local foi com base no artigo 6º, do Código de Defesa do Consumidor, que trata da proteção da vida, saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos.

O consumidor que comprou o produto, é orientado pelo Procon estadual a realizar uma reclamação em um dos canais do órgão, o call center (0800-282-1512), o e-mail [email protected], exclusivo para denúncias, e um número de WhatsApp: 3181-7000, onde o consumidor recebe orientações para registrar suas queixas. Caso tenha alguma dúvida sobre a qualidade do álcool, o usuário precisa abrir uma ocorrência na Delegacia do Consumidor. A instituição é quem está apta para encaminhar o produto para perícia no IC.

Resposta da empresa: 
NOTA DE ESCLARECIMENTO

A VALENÇA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS E LIMPEZA LTDA vem a público esclarecer seu compromisso com a verdade na prestação dos seus serviços. Após mais de 20 anos de atuação no mercado, fomos surpreendidos com o fechamento da nossa fábrica.

Diante de um erro no nosso processo de produção foi constatado que o percentual de álcool de um lote vendido para determinada empresa privada, com destino a entes públicos, apresentou percentual pouco abaixo dos 70% obrigatórios. Esta constatação ocasionou uma série de medidas e ações por parte da nossa indústria, como a substituição de todo lote sem qualquer custo adicional à determinada empresa.

Contudo, mesmo com a resolução do problema, um processo administrativo no Procon Pernambuco foi aberto, não para apurar novas irregularidades, mas para fechar toda nossa linha de produção, que engloba, além da produção de álcool em gel 70%, uma série de produtos que há muito tempo são conhecidos e consumidos com satisfação por nossos clientes.

Por isso, temos certeza, que a ação apresentada pelo Procon Pernambuco ultrapassa o princípio da razoabilidade, pois não poderia, a nosso ver, interditar toda linha de produção, que fabrica mais de 40 itens de higiene e limpeza, diante de um erro no processamento de apenas um dos nossos produtos. Erro este que foi reparado.

Dessa forma, a VALENÇA QUÍMICA reafirma seu cumprimento de todas as leis e programas de qualidade aplicáveis à produção de seus produtos. Tanto que, durante toda a existência, nunca houve qualquer procedimento ou processo judicial ligado à eventual irregularidade de produção. A empresa sempre prezou pela fabricação e disponibilização de produtos com elevado padrão de qualidade, agindo sempre com ética e com utilização da melhor técnica para satisfação de nossos consumidores.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Justiça autoriza justa causa de trabalhadora que furou quarentena e viajou
Brasil

Justiça autoriza justa causa de trabalhadora que furou quarentena e viajou

Google exigirá que funcionários de seus escritórios sejam vacinados contra a Covid-19
Tecnologia e Games

Google exigirá que funcionários de seus escritórios sejam vacinados contra a Covid-19