Fabricante da Dolly é alvo de operação por inadimplência e fraude no ICMS

São alvo da investigação seis instalações da companhia: três em Diadema, uma em Tatuí e duas na capital paulista

Dolly guaranáDolly guaraná - Foto: Reprodução/ Facebook

A secretaria da Fazenda de São Paulo deflagrou nesta quinta-feira a Operação Clone, contra a empresa Ragi Refrigerantes, fabricante de bebidas da marca Dolly.
A empresa tem dívida de R$ 2 bilhões em ICMS com o Estado de São Paulo. Entre as suspeitas que motivaram a operação está a de que, após ter a Inscrição Estadual cassada em dezembro do ano passado, a empresa teria retomado as atividades a partir da criação de novas companhias.

São alvo da investigação seis instalações da companhia: três em Diadema, uma em Tatuí e duas na capital paulista. A ação desta quinta-feira (18) tem como objetivo reunir provas das operações ilegais e, caso sejam comprovadas, suspender as atividades da companhia, segundo Marcelo Bergamasco, diretor executivo da administração tributária.

Bergamasco diz que, durante a operação, foram identificados insumos industriais e produtos acabados, o que, indica que a situação irregular estava em curso.
Segundo a Fazenda de São Paulo, a empresa vinha deixando de responder a comunicados da pasta para dar esclarecimentos desde o ano passado. Também não havia recebido fiscais para oferecer esclarecimentos.

Questões relacionadas à blindagem patrimonial e ocultação do quadro societário, a partir do uso de empresas de participação e de offshores, são alguns dos desafios que estão sendo enfrentados pelas equipes envolvidas nos trabalhos, diz a Fazenda.
Participam da investigação 24 agentes de três delegacias regionais tributárias e procuradores do Estado, com reforço da Polícia Militar.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria de imprensa da empresa. Uma funcionária da unidade de Tatuí informou não estar autorizada a fornecer nenhum telefone para a reportagem. Também não houve retorno às solicitações de esclarecimentos feitas por e-mail.

Veja também

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?
Tecnologia e games

Privacidade e WhatsApp: em que a última atualização interfere?

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
Economia

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC