Facebook anuncia vazamento de fotos que afetou até 6,8 milhões de usuários

O problema esteve no ar entre 13 e 25 de setembro deste ano e, segundo a empresa, foi corrigido.

FacebookFacebook - Foto: Loic Venance / AFP

O Facebook anunciou nesta sexta-feira (14) um vazamento de fotos que pode ter afetado até 6,8 milhões de usuários. Em comunicado, Tomer Bar, diretor de Engenharia do Facebook, afirma que o problema esteve no ar entre 13 e 25 de setembro deste ano.

A falha foi corrigida, segundo a empresa. No entanto, nesse intervalo de 12 dias, aplicativos de terceiros que funcionam no site tiveram acesso "mais amplo que o normal" às fotos, ainda segundo o Facebook. Via de regra, os desenvolvedores desses apps que se comunicam com a rede social têm acesso apenas a fotos postadas como públicas nos perfis.

Com a falha, no entanto, o Facebook diz ter concedido acesso também a fotos publicadas no sistema de stories (aquelas que se apagam após 24h) e, inclusive, a imagens que nem chegaram a circular na rede – por exemplo, quando um usuário prepara o conteúdo, mas desiste antes de apertar o botão de compartilhar.

"Acreditamos que isso pode ter afetado 6,8 milhões de usuários e até 1.500 aplicativos de 876 desenvolvedores diferentes", afirmou a rede social. Segundo relatórios da empresa, o Facebook possui mais de 2 bilhões de usuários ativos por mês, 127 milhões deles no Brasil.

Leia também:
Parlamentares britânicos acusam Facebook de dar acesso a dados de usuários
Reino Unido multa Facebook em R$ 2,3 mi por vazamento em eleição dos EUA 

A plataforma lamentou o ocorrido e afirmou que no começo da próxima semana irá disponibilizar uma ferramenta para que os desenvolvedores possam analisar quem foi afetado pelo problema e que irá trabalhar para que as fotos sejam deletadas. Os usuários potencialmente afetados por esse vazamento deverão receber um alerta na rede social nos próximos dias.

Problema recente
Em setembro, o Facebook anunciou que invasores roubaram os chamados "tokens de acesso" de 50 milhões de contas. Como medida de segurança, na época, 90 milhões de contas foram deslogadas - ou seja, pessoas que entravam no site de modo automático (sem incluir a senha), foi desconectado.

Com esses tokens de acesso, informações que ficam armazenadas no computador e permitem esse acesso sem digitar as credenciais, hackers têm total controle sobre as contas -podem ver mensagens e álbuns privados, por exemplo.

Veja também

INSS inicia pagamento de segunda parcela do 13º salário a aposentados
Economia

INSS inicia pagamento de segunda parcela do 13º salário a aposentados

Confiança do consumidor atinge maior índice desde novembro de 2020
Economia

Confiança do consumidor atinge maior índice desde novembro de 2020