Falha na educação compromete índice

“Às vezes, apenas um layout melhor estruturado na planta produtiva já reduz perdas”

Espetáculo Gota D'Água [a seco]Espetáculo Gota D'Água [a seco] - Foto: Elisa Mendes/Divulgação

Embora Pernambuco te­nha avançado nos índices educacionais - recentemente o Estado passou à liderança do ranking nacional do Ensino Médio -, o descompasso de qualificação de mão de obra persiste. “A mão de obra é cara e pouco produtiva. Temos muitos profissionais que saem do 2° grau semianalfabetos”, comentou o presidente da Fiepe, Ricardo Essinger.

Mas, o secretário estadual da Micro e Pequena Empresa, Trabalho e Qualificação, Alexandre Valença, acredita que, do ponto de vista da indústria, não adianta qualificar o trabalhador se não houver investimentos em tecnologia.“Não adianta nada um empregado extremamente qualificado descarregar um caminhão de areia com uma pá”, argumenta.

Sem detalhar o montante de investimentos em capacitação aplicados pelo Estado, ele diz que, depois do esforço feito no sentido da qualificação de mão de obra para os estaleiros e a refinaria - quando muitos trabalhadores de baixa qualificação foram preparados para assumir funções de alta especificidade -, o foco do Governo agora é a requalificação de quem já está empregado. A capacitação é feita em conjunto com o Senai.

Diretora técnica do Senai, Ana Cristina Dias diz que o Senai atua tanto na educação profissional, com cursos técnicos e qualificação, quanto no aprimoramento de processos. “Às vezes, apenas um layout melhor estruturado na planta produtiva já reduz perdas”, comenta.

Veja também

Fusão de PIS e Cofins eleva carga em relação ao PIB
Economia

Fusão de PIS e Cofins eleva carga em relação ao PIB

20% das normas federais desde a Constituição são tributárias
Economia

20% das normas federais desde a Constituição são tributárias