A-A+

INDÚSTRIA

FGV diz que confiança da indústria atinge maior patamar desde janeiro

Índice cresceu 0,8 ponto de junho para julho e atingiu 108,4 pontos

É a terceira alta no setor desde janeiro deste anoÉ a terceira alta no setor desde janeiro deste ano - Foto: Miguel Ângelo/CNI

O Índice de Confiança da Indústria (ICI), medido no país pela Fundação Getulio Vargas (FGV) , cresceu 0,8 ponto de junho para julho deste ano e atingiu 108,4 pontos, em uma escala de zero a 200. Essa foi a terceira alta consecutiva do indicador, que atingiu o maior valor desde janeiro deste ano (111,3 pontos).

A alta foi puxada principalmente pelo Índice de Expectativas, que mede a confiança do empresariado da indústria brasileira em relação ao futuro e que subiu 0,9 ponto. Com essa, que foi a terceira alta consecutiva, o indicador chegou a 104,9 pontos.

O Índice da Situação Atual, que apura a percepção do empresariado sobre o presente, subiu 0,5 ponto e chegou a 111,8 pontos.

Faltam insumos

Apesar da alta do ICI, houve uma desaceleração em relação ao crescimento de junho (3,4 pontos). “As empresas ainda enfrentam um cenário de escassez de insumos, possibilidade de racionamento energético e alta incerteza econômica, fatores que tendem a limitar uma alta mais expressiva da confiança nos próximos meses”, disse a economista da FGV, Claudia Perdigão.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada subiu 0,7 ponto percentual, indo para 80,1%, maior valor desde novembro de 2014 (80,3%).

Veja também

Curso Mulheres de Negócios, do Sebrae, abre inscrições na próxima segunda-feira (18)
Empreendedorismo

Curso Mulheres de Negócios, do Sebrae, abre inscrições na próxima segunda-feira (18)

Empresas de beleza esperam receita de US$ 30 milhões no mercado árabe
Economia

Empresas de beleza esperam receita de US$ 30 milhões no mercado árabe