Força Sindical vai à Justiça contra reajuste do salário mínimo abaixo da inflação

O INPC terminou o ano de 2017 acumulado em 2,07%, mas o reajuste concedido pelo governo no salário mínimo foi de 1,81%

DinheiroDinheiro - Foto: Reprodução/Pixabay

A Força Sindical entra, nesta quinta-feira (18), com ação na Justiça contra a decisão do governo de reajustar o salário mínimo abaixo do índice de inflação. Em nota, a entidade afirma que a medida prejudica 22 milhões de aposentados. O INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) é a referência utilizada para reajuste do salário mínimo. O indicador terminou o ano de 2017 acumulado em 2,07%, mas o reajuste concedido pelo governo no salário mínimo foi de 1,81%.

"Com essa medida absurda e insensata, sob o contexto de elevação do custo de vida, o governo promoveu um achatamento ainda maior nos vencimentos dos cerca de 22 milhões de brasileiros aposentados, ou seja, 70% dos beneficiários do INSS, que terão de sobreviver com uma renda, insatisfatória, de R$ 954,00", diz a nota divulgada pela Força Sindical e pelo sindicato dos aposentados.

Leia também:
Salário mínimo sofre menor correção desde criação do Real
Salário mínimo de R$ 954 entra em vigor


"A medida do governo, além de penalizar milhões de brasileiros, também desrespeita a Lei em que determina o reajuste do mínimo com a reposição das perdas inflacionárias conforme o INPC somado ao PIB de dois anos anteriores. Como o PIB foi negativo, deveria ser assegurado ao mínimo os 2,07% do INPC, mas nem isso o governo repassou", acrescenta a nota.

A justificativa para a diferença é que no passado o salário mínimo foi reajustado acima da inflação, movimento que estaria sendo compensado agora.

Veja também

Caixa paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários
Auxílio Emergencial

Caixa paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários

Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
Economia

Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos