França multa Google com 150 milhões de euros por abuso de publicidade

A agência também pediu ao Google "que esclarecesse as regras de operação de sua plataforma do Google Ads e os processos de suspensão de contas" de alguns anunciantes

Google BrasilGoogle Brasil - Foto: Divulgação

A autoridade reguladora de concorrência francesa anunciou nesta sexta-feira uma multa de 150 milhões de euros ao Google por abuso de posição dominante no mercado de publicidade na Internet por meio de sua plataforma do Google Ads.

A agência, que até agora nunca havia aplicado sanções ao gigante americana, também pediu ao Google "que esclarecesse as regras de operação de sua plataforma do Google Ads e os processos de suspensão de contas" de alguns anunciantes.

Leia também:
Apple, Google e Amazon criam plataforma tecnológica para dispositivos domésticos
Confira o que os brasileiros mais buscaram no Google em 2019
Google Maps lançará previsão de ônibus em tempo real no Recife


Isabelle De Silva, presidente da autoridade, disse em entrevista coletiva que esta é a terceira punição mais importante por abuso de posição dominante. "Quando se tem grandes poderes, se tem grandes responsabilidades", disse ela.

"É perfeitamente legítimo que uma operadora como o Google tenha regras de acesso ao seu serviço de publicidade relacionadas a buscas na internet", acrescentou. "Mas essas regras devem ser claras e não depender de cada cliente ou aplicadas de maneira irregular".

Segundo ela, "a posição dominante do Google é extraordinária" no mercado de publicidade relacionada a mecanismos de busca, com uma participação de mercado entre 90% e 100%. A falta de clareza sobre as regras que o Google aplica aos anunciantes conseguiu conter o desenvolvimento de novos sites inovadores, destaca a autoridade da concorrência em sua declaração.

"O Google deve enviar um relatório dentro de dois meses, detalhando as medidas e procedimentos que pretende aplicar para atender aos requisitos", acrescentou.

Veja também

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial
Benefício

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão
Restrições

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão