A-A+

Agropecuária

Frutas e hortaliças em safra podem ajudar nas despesas mensais

Os alimentos da época chegam a custar entre 20% e 30% menos, de acordo com o Ceasa-PE

Foto: Artur Cavalcanti/ Ascom Ceasa-PE

Encontradas nos supermercados e nas feiras, as frutas e hortaliças da época podem ser o diferencial para o bolso dos consumidores. Com as despesas mensais cada vez mais caras, por conta da alta da inflação no Brasil e em Pernambuco, o consumidor procura em vários aspectos do seu dia-dia-dia economizar. De acordo com o Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa-PE), os alimentos da época chegam a custar entre 20% e 30% menos.  

Segundo o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), nos meses de agosto, setembro e outubro, no estado, algumas frutas e hortaliças estão em alta na produção e com o preço vantajoso. Nas frutas, o abacaxi, as bananas compridas e pacovan, graviola, limão Taiti, mamão, maracujá, melancia e o melão estão nesse cenário. Já no caso das hortaliças, temos a abóbora, abobrinha, acelga, agrião, alface, berinjela, beterraba, brócolis, chuchu, coentro, couve, pepino, pimentão, quiabo, repolho e tomate.  

“Devido às chuvas, alguns produtos precisam ser escolhidos rapidamente, por causa do risco de estragar a produção. Por isso, o produtor colhe além da quantidade que o mercado pode produzir e o preço pode baixar um pouco. No caso dos outros produtos, a diminuição do preço acontece por conta da safra e o mercado fica em estabilidade”, pontua o extensionista de Engenharia Agronômica do IPA, Dijair Alves da Silva.  

De acordo com o Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa-PE), as hortaliças, no geral, tiveram queda de 25% no preço médio em junho de 2021, comparado com o mesmo mês do ano passado. As frutas também apresentaram queda no preço, em um cenário um pouco menor, de -6%.  

No grupo das hortaliças, o chefe do setor de informações de mercado agrícola do Ceasa-PE, Marcos Barros, sugere alguns produtos que estão com uma diminuição nos custos por conta do período em safra e da oferta elevada, como a batatinha, cebola, cebolinha, cenoura, coentro e pimentão.

A batatinha, por exemplo, que está no período de safra até dezembro, apresentou uma queda de 48% no preço médio em junho de 2021 e está custando R$96,00 o saco com 50 quilos. Ano passado, a hortaliça custava R$186,00 no mesmo período. O baixo custo acontece devido ao aumento da oferta em 80% e da concentração das safras no Centro-Sul e no Nordeste. A tendência é de queda do preço do produto.

No caso das frutas, Marcos Barros destaca o limão Taiti, maracujá, mamão formosa e a uva Itália como boas escolhas aos consumidores no período.  

O limão Taiti, por exemplo, apresentou queda de 12% no preço, em junho de 2021 e chegou ao valor de R$35,00 a caixa de 20 kg. Em junho de 2020, o produto custava R$40,00. A diminuição do preço acontece devido ao aumento de 18% na oferta por conta da safra. Os estados produtores que se destacam são Bahia, Pernambuco, Minas Gerais e São Paulo. A tendência é de estabilidade dos preços em função da safra.

“Todo consumidor deve procurar aqueles produtos que estão no período de safra. Com relação às hortaliças, a partir do segundo semestre, vamos ter um preço atrativo, porque a maioria está em período de safra. Elas estavam muito caras o ano passado, acima da média histórica e esse ano já começou a recuar e haver um realinhamento dos preços”, explica Marcos Barros.  

O Centro de Abastecimento de Pernambuco (Ceasa-PE), disponibiliza a lista de alimentos e os preços diariamente praticados para vendas no local, através do site: www.ceasape.org.br.

Produtos da época – em safra, de acordo com o Ceasa-PE 

Hortaliças 

Abóbora – maio a novembro 
Alface – Coentro e Cebolinha –  julho a dezembro 
Batatinha – julho a dezembro 
Batata Doce – julho a dezembro 
Cebola Pera – agosto a dezembro 
Cenoura – julho a dezembro
Chuchu – maio a novembro
Pimentão – julho a dezembro
Repolho –– julho a dezembro
Tomate – julho a dezembro

Frutas 

Abacate– fevereiro a setembro
Abacaxi– julho a dezembro
Coco Verde – junho a outubro
Goiaba – junho a novembro
Laranja Pêra – junho a outubro
Maracujá – abril a setembro
Melão Espanhol – março a setembro
Uva Itália – maio a setembro

Veja também

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 7 milhões
Prêmio

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 7 milhões

Alta da Selic e incertezas ampliam vantagem da renda fixa
Investimentos

Alta da Selic e incertezas ampliam vantagem da renda fixa