Gestão de Suape voltará para Pernambuco

Autonomia sobre o Porto de Suape vai ser devolvida ao Governo do Estado, segundo Raul Henry

Com a medida, Pernambuco terá de volta o direito de licitar e fazer contratações de vários serviços que estão travados Com a medida, Pernambuco terá de volta o direito de licitar e fazer contratações de vários serviços que estão travados  - Foto: Usina de filmes

 

A solicitação do Governo de Pernambuco de recuperar a autonomia nas concessões do Porto de Suape foi atendida. Após o pedido, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry, recebeu como resposta que uma equipe de trabalho do Ministério dos Transportes está produzindo uma minuta de decreto que devolverá a responsabilidade pelas concessões portuárias aos estados. O texto será entregue ao presidente Michel Temer entre 30 e 60 dias, para então passar por edição e ser publicado no Diário Oficial da União. Com isso, Pernambuco terá de volta o direito de licitar e fazer contratações de vários serviços em Suape. A devolução vem sendo pleiteada pelo Estado desde a publicação da Lei dos Portos, em 2013, quando as decisões sobre os ancoradouros foram centralizadas em Brasília.

O Governo Federal chegou a se comprometer com a desburocratização de processos, como a decisão da ex-presidente Dilma Rousseff de incluir as concessões dos portos públicos no Programa de Investimentos em Logística, mas a ideia ficou no papel. “Agora, com a devolução dos portos, os estados terão mais autonomia para a administração. Suape sempre foi um porto avançado, mas que ficou com as contratações travadas por causa dessa burocracia”, afirmou Raul Henry, que teve na terça-feira passada e nesta quarta-feira (25) uma série de reuniões em Brasília com vários ministros, além de Moreira Franco, secretário do Programa de Parceria e Investimentos (PPI).

O secretário pernambucano não adiantou quais projetos terão prioridade quando o Governo do Estado receber de volta a autonomia sobre Suape. “A gente inclusive convidou para ser vice-presidente do porto um especialista nesses modelos de concessão, que vai analisar os formatos. Por enquanto, é o começo de uma nova conversa para quando a gente tiver a autonomia e puder decidir como vai ser feito”, explicou.

Com Moreira Franco, Henry também tratou da concessão de rodovias pernambucanas incluídas no PPI e ouviu que as estradas estão dentro do calendário. No entanto, o secretário não informou as datas em que as obras serão contempladas. Também foi tratada com ele a concessão do Aeroporto dos Guararapes, solicitada por Raul, mas que não tem previsão de acontecer.

 

Veja também

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego
Economia

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil
Montadoras

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil