Governo anuncia a contratação de 650 mil unidades do Minha Casa Minha Vida

Com as contratações serão gerados 1,4 milhão de empregos, com um investimento total de R$ 72,7 bilhões

Ministro das Cidades, deputado Alexandre Baldy (GO) Ministro das Cidades, deputado Alexandre Baldy (GO)  - Foto: Evaristo Sa/AFP

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, anunciou a contratação de 650 mil novas unidade do Programa Minha Casa Minha Vida, para todas as faixas de renda, juntamente com o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Moreira Franco. O governo investirá cerca de R$ 9,7 bilhões do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 63 bilhões do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS).

Leia também:
Produção industrial fecha 2017 com crescimento e cai em Pernambuco
Comércio varejista fecha 2017 com alta de 2% no volume de vendas

Do total dos imóveis, 130 mil são destinadas para a Faixa 1, já com o acréscimo das contratações para a modalidade Entidades e do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), 70 mil para a Faixa 1,5, 400 mil para a Faixa 2 e 50 mil para a Faixa 3.

As famílias com renda familiar de até R$ 1.800, se enquadram na Faixa 1 do programa, e os valores do imóvel variam de acordo com a localidade. Nesse modelo o governo pode arcar com até 90% do valor do imóvel podendo chegar a juros zero e financiamento podendo ser dividido em até 120 vezes, com imóveis chegando até R$ 98 mil. A Faixa 1,5 é destinada a famílias com renda até R$ 2.600 e oferece subsídios de até R$ 45 mil para financiamentos de imóveis até R$ 135 mil.

A Faixa 2 conta com subsídio de até R$ 27.500 destinada a famílias com renda máxima de R$ 4 mil, apresenta taxa de juros variando de 5,5% a 7% ao ano. A última faixa, a 3, oferece financiamento com recursos do FGTS, de famílias com renda bruta mensal de até R$ 7 mil, com taxas de juros até 8,16% ao ano. As duas últimas faixas incluem imóveis de até R$ 225 mil.

De acordo com o ministro Alexandre Baldy, a intenção é atingir uma meta ousada, porém possível, em consenso com a postura do Governo Federal de recuperação da economia brasileira. “Temos para este ano uma meta de retomadas e de novas construções totalmente ambiciosas. Acreditamos que a construção civil gera muitos empregos, e impulsiona a economia. Desejamos que todas as articulações do governo consigam recuperar a economia, e dessa maneira vamos promover essa articulação com o Programa Minha Casa, Minha Vida.”

Com as novas obras, cerca de 1,4 milhão de empregos serão gerados em todo o País. Para o ministro, esse é um dos principais objetivos do programa, além de garantir o direito à casa própria. “Vamos gerar emprego, reaquecendo a economia dos municípios, dando a oportunidade do trabalhador brasileiro colocar comida na mesa e dar mais dignidade à sua família”.

Veja também

Guedes diz a investidores estrangeiros que não será demitido nos próximos meses

Guedes diz a investidores estrangeiros que não será demitido nos próximos meses

Senado autoriza que BNDES faça empréstimo internacional
Empréstimo

Senado autoriza que BNDES faça empréstimo internacional