Governo anuncia plano B para economia após desistir de Previdência

Estão na lista: reforma do PIS/Cofins, autonomia do Banco Central, lei geral das agências reguladoras, reoneração da folha de pagamento, etc.

Ministro da Fazenda Henrique MeirellesMinistro da Fazenda Henrique Meirelles - Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

O governo apresentou nesta segunda-feira (19) uma lista de propostas para a área econômica a serem tocadas ainda neste ano diante da decisão de desistir de aprovar a reforma da Previdência antes das eleições presidenciais. Segundo o ministro Henrique Meirelles (Fazenda), não se trata apenas de uma agenda fiscal.

Estão na lista: reforma do PIS/Cofins, autonomia do Banco Central, lei geral das agências reguladoras, reoneração da folha de pagamento, mudanças no cadastro positivo e distrato, entre outras medias que dependem do Congresso.

Leia também:
Governo admite que Previdência ficará para depois da eleição
Novas propostas de ajuste têm efeito mais imediato que reforma, diz Meirelles

O governo do presidente Michel Temer admitiu pela primeira vez que não conseguirá votar a reforma previdenciária pelo menos até a eleição presidencial. Em entrevista à imprensa nesta segunda, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que a proposta está suspensa e que, na melhor das hipóteses, poderá ser retomada em novembro.

Segundo ele, o Palácio do Planalto concluiu que não há segurança jurídica para revogar o decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro, que impede a votação de uma Proposta de Emenda Constituição (PEC).

Veja também

Bolsonaro liga alerta para investidor que têm ações de estatais
Economia

Bolsonaro liga alerta para investidor que têm ações de estatais

Petrobras anuncia nova alta nos preços da gasolina, diesel e gás
Economia

Petrobras anuncia nova alta nos preços