Economia

Governo autoriza contratação de 234 mil temporários para Censo 2020

Os candidatos passarão por uma seleção simplificada e os aprovados terão contrato de um ano de duração

O censo de 2020 terá novas regras e conta com um previsto corte de orçamentoO censo de 2020 terá novas regras e conta com um previsto corte de orçamento - Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

O Ministério da Economia autorizou a contratação temporária de até 234,4 mil profissionais para atuarem no Censo 2020, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os profissionais serão contratados a partir de janeiro de 2020. A autorização está em portaria publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira(6).

Do total de vagas, 196 mil serão para recenseador que coleta as informações junto à população. Outra atividade com número alto de vagas é o de agente censitário supervisor (23.578). Serão contratados ainda supervisores, coordenadores censitários e agentes censitários operacionais.

A contratação dos profissionais depende de aprovação prévia em processo seletivo simplificado. O contrato terá duração de até um ano, prazo que pode ser prorrogado de acordo com a necessidade de conclusão dos trabalhos.

Leia também:
IBGE quer reduzir em 25% orçamento do Censo Demográfico de 2020
População de rua deve ficar fora do Censo 2020


O edital de abertura de inscrições para o processo seletivo simplificado será publicado no prazo de até seis meses com detalhes sobre a escolaridade exigida para cada atividade e a remuneração. Nas últimas seleções, a exigência era de ensino fundamental completo para o cargo de recenseador.

A portaria informa que as contratações serão formalizadas somente mediante disponibilidade de dotações orçamentárias específicas.

Veja também

Consultas de valores 'esquecidos' em bancos serão retomadas no dia 14 de fevereiro, informa o BCBanco Central

Consultas de valores 'esquecidos' em bancos serão retomadas no dia 14 de fevereiro, informa o BC

Preços de testes de Covid variam em até 156% no Recife, constata ProconDe olho nos preços

Preços de testes de Covid variam em até 156% no Recife, constata Procon