Governo autoriza motorista de aplicativo a aderir ao MEI

O decreto regulamentou a exigência de que esses trabalhadores se formalizem e façam pagamentos à Previdência Social

UberUber - Foto: Paullo Allmeida

Motoristas de aplicativo, como Uber, 99 e Cabify, poderão se formalizar como MEI (microempreendedor individual). A autorização está em resolução publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (8).

Em maio, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) já havia publicado um decreto para permitir que esses profissionais passem a contribuir ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

O decreto regulamentou a exigência de que esses trabalhadores se formalizem e façam pagamentos à Previdência Social. A fiscalização caberá aos estados e municípios. Pelas regras previstas no decreto, a responsabilidade de se inscrever no INSS é do motorista, que poderá se formalizar como MEI, desde que cumpra os requisitos.

Leia também:
Motorista de aplicativo invade base da PM para fugir de suposto roubo
Contra regulamentação, motoristas de vans bloqueiam rodovias em Pernambuco
Motorista de aplicativo é achado com tiro na cabeça na Guabiraba

O trabalhador que adere ao MEI deve pagar mensalmente R$ 49,90 de INSS, acrescido de R$ 5,00 para prestadores de serviço ou R$ 1,00 para comércio e indústria.

Com a resolução desta quinta, o governo incluiu os motoristas de aplicativo na lista de ocupações que estão autorizadas a aderir ao MEI.

A modalidade existe desde 2008 e foi criada com o objetivo de aumentar a formalização de trabalhadores que desempenhavam funções como autônomos ou na informalidade.

Para ser considerado MEI, o trabalhador deve ter renda de até R$ 81 mil no ano.
Ao se formalizar, o motorista passa a ter direito a benefícios, como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez e auxílio-reclusão, que é pago a familiares de quem for preso. Além disso, ele poderá se aposentar de acordo com os requisitos do INSS.

No ano passado, o Congresso aprovou regras para os aplicativos de transporte, visando garantir a segurança dos passageiros e exigir que os motoristas se formalizem.

No entanto, o governo ainda precisava detalhar como deve funcionar a inscrição desses trabalhadores no INSS.

Veja também

Maia afirma que tema do meio ambiente não pode ser disputa política
meio ambiente

Maia afirma que tema do meio ambiente não pode ser disputa política

Conheça os principais golpes financeiros virtuais e como evitá-los
Segurança

Conheça os principais golpes financeiros virtuais e como evitá-los