Economia

Governo confirma liberação do FGTS, e saques poderão ser feitos até dezembro; saiba consultar saldo

Os saques ficarão disponíveis até dia 15 de dezembro deste ano e o cronograma vai seguir conforme o mês de nascimento do cotista, começando por janeiro

FGTSFGTS - Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

O governo confirmou, nesta quinta-feira (17), que vai liberar saque de até R$ 1 mil do FGTS ainda neste mês. A medida deve chegar a 40 milhões de pessoas com saldo no FGTS e injetar cerca de R$ 30 bilhões na economia.

Os saques ficarão disponíveis até dia 15 de dezembro deste ano e o cronograma vai seguir conforme o mês de nascimento do cotista, começando por janeiro. Os critérios e a forma, assim como o cronograma, serão estabelecidos pela Caixa Econômica Federal.

Segundo o governo, o valor de saques não comprometerá financeiramente o FGTS e as operações de apoio a habitação, saneamento e infraestrutura que são realizadas com recursos do fundo não serão reduzidas.

Os recursos serão depositados na conta corrente, popança ou poupança social digital do cotista.

Quem antecipou nos bancos o saque aniversário do fundo fica com o valor bloqueado para ser pago na data do aniversário do trabalhador. Ou seja, se o cotista antecipou o saque aniversário, ele não poderá efetuar a retirada.

A medida faz parte de um pacote lançado pelo governo nesta quinta-feira para estimular a economia no ano eleitoral.

Além do saque do FGTS, o governo anunciou a antecipação do 13º para aposentados e pensionistas, crédito para micro e pequenas empresas e um projeto que permite a concessão de crédito consginado para benefícios do Auxílio Brasil e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Como consultar FGTS?

Basta fazer um cadastro no site da Caixa Econômica Federal, banco que é o gestor dos recursos do Fundo e fazer a consulta pelo aplicativo.

O FGTS passou por algumas mudanças recentes, como o saque-aniversário a o saque digital. Para consultar as novidades, basta acessar o site da Caixa, no link "benefícios e programas" e, depois, "benefícios do trabalhador/FGTS".

Se preferir, clique direto no site do FGTS. Uma das mudanças é que as informações do Fundo de Garantia agora só podem ser feitas nas agências ou pelo aplicativo FGTS, que é gratuita.

Quem já tem senha no sistema só precisa informar CPF ou NIS (Número de Inscrição Social, também chamado de PIS/Pasep ou NIT).

Quem ainda não tem senha, precisa fazer um cadastro. É só clicar em "cadastrar/esqueci senha".

Basta informar dados pessoais, como nome completo, data de nascimento, nome da mãe e números do CPF e da identidade. E, depois, criar uma senha.

O trabalhador receberá a notificação de cadastro realizado. Para acessar seu extrato, terá que voltar à tela inicial e preencher novamente o número do CPF e a senha.

O aplicativo do FGTS informa o extrato de todas as contas do trabalhador. Quem já teve mais de um emprego, tem várias contas, uma para cada empresa na qual trabalhou.

O demonstrativo trará informações sobre a empresa, a data de admissão no emprego e dois valores totais: saldo para fins rescisórios (soma de todos os depósitos feitos pelo patrão, mesmo que o trabalhador já tenha sacado alguma parte, pois sobre esse valor é calculada a multa de 40% em caso de demissão sem justa causa) e saldo (valor real existente na conta hoje).

Logo abaixo, é informado o histórico de créditos feitos recentemente na conta.

Quem é cliente da Caixa pode usar o próprio aplicativo do banco para consultar o saldo de sua conta vinculada. Após informar o login de usuário e senha e clicar em "Acessar minha conta", o correntista ou o poupador deve procurar o ícone "FGTS e INSS", na segunda tela.

 

Veja também

GPA pede registro de oferta de ações que pode somar R$ 1 bilhão
Mercado

GPA pede registro de oferta de ações que pode somar R$ 1 bilhão

Plano prevê reduzir em 10% diferença salarial entre homens e mulheres
Diferença salarial

Plano prevê reduzir em 10% diferença salarial entre homens e mulheres