Governo deve R$ 500 mi para empreiteiras do Minha Casa Minha Vida

As declarações foram dadas por um representante do Ministério do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira

Imóvel do Minha Casa Minha VidaImóvel do Minha Casa Minha Vida - Foto: Divulgação

O programa Minha Casa Minha Vida pode ter obras paralisadas por atraso do pagamento para as empresas que constroem os imóveis.

O governo federal afirma que já são cerca de R$ 500 milhões em atraso. As declarações foram dadas por um representante do Ministério do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, em uma audiência na Comissão de Integração Nacional da Câmara.

Segundo ele, em sua maioria são empresas responsáveis pelas construções dos imóveis da chamada "Faixa 1", que atende famílias com renda de até R$ 1.800 por mês.

Leia também:
Governo publica guia para voluntários que atuam em praias do Nordeste
Governo vai enviar projeto de periculosidade e não tem controle sobre tramitação, diz Marinho


Ferreira afirma, no entanto, que sempre que recursos bloqueados pelo contingenciamento do Orçamento da União são desbloqueados, a prioridade é pagar as obras atrasadas.

O representante da Câmara Brasileira da Indústria da Construção José Carlos Martins também participou da audiência e afirmou que em algumas regiões faltaria R$ 1,5 bilhão de liberação orçamentária para o Minha Casa, Minha Vida este ano. O orçamento total é de R$ 5 bilhões.

Ele diz ainda que os atrasos podem gerar desemprego em massa. O representante do governo disse que o programa deve mudar em 2020. Segundo ele, uma das ideias em estudo pretende conceder uma espécie de voucher para a compra direta da casa própria pelas famílias de baixa renda.

Veja também

Leilão para saneamento de 13 cidades de Alagoas atrai sete consórcios
Saneamento

Leilão para saneamento de 13 cidades de Alagoas atrai sete consórcios

Pernambucano de 17 anos cria própria startup e ganha reconhecimento internacional
Tecnologia

Pernambucano de 17 anos cria própria startup e ganha reconhecimento internacional