Pandemia

PE: Governo sinaliza com medidas para amenizar efeito das restrições para bares e restaurantes

Representantes do setor afirmam que ficaram satisfeitos com a conversa

Bares e RestaurantesBares e Restaurantes - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

A disponibilidade de uma linha de crédito e a possível renegociação tributária foram algumas das medidas discutidas durante reunião, nesta quarta-feira (3), entre empresários do setor de bares e restaurantes e representantes do Governo de Pernambuco. Segundo a secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça – que participou do encontro -, foi deixado claro, a partir dos números diários sobre a pandemia, que a decisão de restringir a atividade econômica foi tomada por extrema necessidade.

A conversa contou ainda com a participação de representantes da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e também de proprietários que atuam de forma independente. Vilaça explicou que a Agência de Empreendedorismo do Estado recebeu, recentemente, recursos do Fundo Nacional do Turismo para operar uma linha de crédito voltada ao segmento.

“Já estamos em contato com a própria Agência para que esse financiamento seja colocado à disposição das empresas do segmento – que fazem parte da cadeia do turismo – para ajudá-las nesse momento de maior sufoco. Essa será uma medida a ser tomada de imediato”, ressaltou a secretária.

Além disso, os empresários acertaram de encaminhar uma pauta com propostas envolvendo uma renegociação tributária que será levada à Secretaria da Fazenda do Estado. “Nesse caso, não demos nenhuma garantia porque caberá à Sefaz - inclusive dentro das regras determinadas pelo Conselho Nacional de Política Fazendária – definir se essas solicitações poderão ou não ser atendidas. De toda forma, as secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Turismo serão responsáveis por encaminhar esse documento e acompanhar sua resposta”, ressalta Vilaça.

Por fim, a secretária conta que entrou em contato com a Presidência da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) para buscar um atendimento mais individualizado ao setor para que seja disponibilizado algum tipo de negociação dos débitos.

Ao final do encontro, o empresário Tony Souza – que faz parte de um grupo proprietários independentes – ressaltou ter saído satisfeito da reunião porque o Governo se mostrou sensível às dificuldades do setor. “Em primeiro lugar, queríamos ser escutados, e os participantes demonstraram estar atentos aos prejuízos que estamos acumulando. Queríamos também mostrar que os bares e restaurantes não podem ser tratados como os grandes vilões da pandemia porque a maioria de nós cumpre todas as restrições impostas. Aqueles que não o fazem devem ser fechados”, explicou.

Em sua opinião, ao demonstrar claramente que está em busca de medidas compensatórias, o Estado apresenta as contrapartidas que os empresários vêm cobrando desde o início da pandemia. “Estamos com muita esperança nessas propostas e entendemos que o importante agora é salvar vidas”, conclui Souza. 

Veja também

Brasil recua no ranking global dos países com maior PIB per capita em 2020
Economia

Brasil recua no ranking global dos países com maior PIB per capita em 2020

Com piora da pandemia, bancos traçam cenário mais pessimista para a economia
Economia

Com piora da pandemia, bancos traçam cenário mais pessimista para a economia