Bilhetes populares

Governo federal quer popularizar acesso a viagens com passagens aéreas por R$ 200

Além de estudantes, servidores públicos e idosos que ganham até R$ 6,8 mil serão beneficiados

Plano para baratear passagens aéreas para pessoas que ganham até R$ 6,8 mil deve ser lançado no próximo semestrePlano para baratear passagens aéreas para pessoas que ganham até R$ 6,8 mil deve ser lançado no próximo semestre - Foto: Unsplash

O governo federal prepara um plano chamado Voa Brasil, que visa destravar a venda de passagens aéreas pelas operadoras que atuam no País. O Voa Brasil será lançado no próximo semestree deve beneficiar, além de estudantes, servidores públicos e idosos com um salário até R$ 6,8 mil, segundo o ministro de Portos e Aeroportos, Márcio França.  

Segundo o ministro Márcio Franca, o plano será uma revolução na aviação brasileira. Ele frisou que não haverá subsídio da União, mas a venda será intermediada por algum aplicativo vinculado ao Governo, podendo ser da Caixa Econômica. A meta é encontrar passagens a R$ 200 (o trecho), totalizando R$ 400 na ida e volta para qualquer lugar do Brasil. 
 

Márcio França explicou que o Voa Brasil evitará que os aviões decolem com cadeiras vazias. De acordo com ele, existe uma média de 90 mihões de passagens emitidas por ano no Brasil e o montante de viagens é feito por apenas 10 milhões de CPFs. A ideia dele, portanto, é dar acesso a mais pessoas e, ao mesmo tempo, evitar a ociosidade de cadeiras nos voos das companhias Azul, Tam e Gol.

De acordo com Márcio França, quem se enquadra nos requisitos, poderá comprar duas passagens por ano por R$ 200 cada e parcelar em 12 vezes por meio de financiamento da Caixa Econômica Federal. A instituição, neste caso, seria responsável por fazer o pagamento às empresas aéreas.

 

Veja também

Brasileiros entram na rota de cruzeiros de alto luxo, com diárias de R$ 5 mil
LUXO

Brasileiros entram na rota de cruzeiros de alto luxo, com diárias de R$ 5 mil

Enauta e 3R fazem fusão de R$ 6 bi que cria segunda maior petrolífera do País, atrás só da Petrobras
NEGÓCIOS

Enauta e 3R fazem fusão de R$ 6 bi que cria segunda maior petrolífera do País, atrás só da Petrobras

Newsletter