Governo Federal quer recompensa por preservar meio ambiente

Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, quer que produtos agropecuários brasileiros tenham preferência nas operações de compra e venda internacionais

Blairo Maggi, ministro da AgriculturaBlairo Maggi, ministro da Agricultura - Foto: Divulgação/Abras

ATIBAIA (SP) - Poucos dias depois de boa parte do mundo virar os olhos para a Amazônia brasileira em virtude da possibilidade de extinção da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), o Governo Federal revelou que está pedindo recompensas pelo seu trabalho de preservação ambiental ao mercado externo. A ideia é que os produtos agropecuários brasileiros tenham preferência nas operações de compra e venda internacionais e foi apresentada pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi.

“Queremos respeito por tudo aquilo que o brasileiro faz pela manutenção do clima global. Ninguém quer a Amazônia desmatada, por exemplo. Mas isso tem um custo. Por isso, queremos preferência no mercado mundial”, defendeu Maggi durante a 51ª Convenção da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), que reúne lojistas e fornecedores de todo o Brasil até esta quinta-feira (14), em Atibaia (SP). O ministro explicou que as atividades agrícolas e pecuárias ocupam só 8% e 23% do território nacional, respectivamente. Por isso, 61% das terras brasileira continuam protegidas.

Leia também
Decreto apenas regulariza exploração em reserva amazônica, afirma Temer
Juiz suspende decreto que extingue reserva na Amazônia
Projeto vai preservar quatro espécies de aves da Caatinga

Veja também

Com inflação e crise, 7 em 10 reajustes em dezembro não repõem poder de compra
Economia

Com inflação e crise, 7 em 10 reajustes em dezembro não repõem poder de compra

Bolsa tem segunda semana seguida de queda pela primeira vez desde setembro
Mercado

Bolsa tem 2ª semana seguida de queda desde setembro