Governo libera diferenciação de preços conforme meio de pagamento

Com isso, lojistas poderão cobrar valores menores para quem pagar à vista em dinheiro

 O projeto é do deputado Isaltino Nascimento (PSB) O projeto é do deputado Isaltino Nascimento (PSB) - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Foi publicada nesta terça-feira (27) medida provisória que autoriza a cobrança de preços diferentes dependendo do meio de pagamento ou do prazo escolhidos pelo consumidor.

Com isso, lojistas poderão cobrar valores menores para quem pagar à vista em dinheiro, ou maiores para quem pagar no cartão de crédito. A MP entrou em vigor nesta terça.

A intenção de liberar a diferenciação de preços já havia sido anunciada pelo presidente Michel Temer no dia 15 de dezembro, como parte do pacote de estímulos microeconômicos.

A MP também torna nula qualquer cláusula contratual que proíba ou restrinja a diferenciação de preços.

A decisão deve gerar controvérsia entre associações de defesa do consumidor, que consideram ilegal a cobrança de valores diferentes a depender do método de pagamento.

Em outubro de 2015, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) determinou que comerciantes não podem reduzir os preços para quem pagar em dinheiro.

Veja também

Empresas estudam esvaziar caixa para evitar dividendo com imposto em 2022
Economia

Empresas estudam esvaziar caixa para evitar dividendo com imposto em 2022

Guedes vê como legítima pressão do centrão e tenta manter aliados no Trabalho
Política econômica

Guedes vê como legítima pressão do centrão e tenta manter aliados no Trabalho