Governo montará sistema para viabilizar distribuição de 'coronavoucher' e alerta para fraudes

De acordo com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, a liberação de recursos se dará por bancos públicos

Ministro da Cidadania, Onyx LorenzoniMinistro da Cidadania, Onyx Lorenzoni - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O governo federal anunciou nesta segunda-feira (30) que montará um sistema para viabilizar a distribuição do benefício de R$ 600 apelidado de "coronavoucher" e alertou para o perigo de golpes que já estão sendo aplicados para fraudes.

Depois que for aprovada pelo Senado, ainda será preciso a sanção da lei, a edição de um decreto de regulamentação e de uma medida provisória para garantir crédito extraordinário para, então, o pagamento poder começar a ser feito.

De acordo com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, a liberação de recursos se dará por bancos públicos como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia. Além das agências, serão usadas casas lotéricas e agências dos Correios.

Leia também:
Voucher do coronavírus ainda depende de aprovação do Senado e decreto de Bolsonaro
Senado vota nesta segunda-feira auxílio de R$ 600 para autônomos e informais


Segundo o ministro, o Ministério da Economia estabelecerá os critérios de elegibilidade para MEIs (microempreendedores individuais) e para contribuintes individuais, além dos trabalhadores informais.

"Não se dirijam neste momento às agências porque o sistema ainda não está implantado", disse Lorenzoni.

O ministro também alertou para o perigo de fraudes. Nos últimos dias, eles identificaram golpes para fraudar o pagamento através da coleta de dados dos beneficiários.

"Por favor, mantenham o sigilo dos dados. Não deem seus dados a qualquer pessoa ou qualquer site", disse Onyx Lorenzoni.

Já o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, tentou adotar um tom de tranquilidade diante do temor de desabastecimento.

"A logística está garantida. O abastecimento está funcionando, os portos estão funcionando", afirmou.

O ministro disse estar em contato com os secretários estaduais para tratar de rodovias federais e que está havendo uma parceria com o Ministério da Saúde para viabilizar a distribuição de kits e equipamentos que estão chegado ao Brasil a partir desta segunda.

Freitas disse ainda que foi estabelecida uma malha mínima aérea com as companhias nacionais, garantindo o atendimento de 46 localidades.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Muito volátil antes da decisão da Opep+, petróleo fecha em altaPetróleo

Muito volátil antes da decisão da Opep+, petróleo fecha em alta

Wall Street fecha em forte alta por repique técnico em mercado nervosoDólar

Wall Street fecha em forte alta por repique técnico em mercado nervoso