A-A+

Governo vai propor licença não remunerada de até 6 anos para servidores federais

Na proposta, o trabalhador poderá suspender temporariamente o vínculo com a administração por três anos consecutivos, prorrogáveis por igual período

Após anunciar o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) para servidores do Poder Executivo, o Ministério do Planejamento divulgou esta terçae (25) a possibilidade de os funcionários públicos federais aderirem a uma licença incentivada sem remuneração (LIP).

Nela, os trabalhadores poderão suspender temporariamente o vínculo com a administração por três anos consecutivos, prorrogáveis por igual período, recebendo como incentivo o valor equivalente a três meses de sua remuneração. O servidor que optar pela medida não poderá retornar ao trabalho antes do fim do prazo acordado.

Em nota, o Ministério do Planejamento informou que os servidores que optarem pela adesão ao programa perderão o vínculo com a administração pública e, portanto, deixarão de participar do Regime Próprio de Previdência Social.

Para a pasta, assim como a LPI, o PDV e a jornada de trabalho reduzida com remuneração proporcional, as duas últimas anunciadas ontem (24), visam “aumentar a eficiência no serviço público”. A adesão poderá ser feita já em 2017, e não há prazo final estipulado para que o servidor interessado possa aderir ao programa. O impacto financeiro da medida será observado em 2018.

Veja também

Pesquisa do BID revela otimismo entre exportadores da América Latina
Economia

Pesquisa do BID revela otimismo entre exportadores da América Latina

Não há possibilidade de racionamento em 2021, diz ONS
Economia

Não há possibilidade de racionamento em 2021, diz ONS