Greve dos auditores tem impacto nas contas

Esse não é o único fator que contribui para o arrefecimento da arrecadação

Palácio do Campo das PrincesasPalácio do Campo das Princesas - Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco

Sem reajustes salariais, os auditores fiscais da Receita Federal continuam mobilizados em todo o País. A redução das atividades da categoria - que opera apenas com 30% do contingente e realiza operações-padrão todas as terças e quintas-feiras nas aduanas - tem forte impacto sobre as receitas federais.

No último mês de agosto, por exemplo, durante o acirramento das paralisações, a arrecadação da União caiu 18,2%, se comparada ao mesmo período de 2014, quando não houve movimento semelhante. O baque no recolhimento de tributos corresponde a R$ 20 bilhões: valor especialmente relevante em um momento de aperto das contas públicas.

Em valores corrigidos pelo IPCA, a arrecadação em agosto de 2014, de R$ 110 bilhões, caiu para R$ 90,1 bilhões no mesmo período deste ano. “Os números são graves porque demonstram uma queda sobre o resultado já ruim de 2015, quando o recolhimento já havia sido 10% menor ante agosto de 2014”, contextualizou o auditor fiscal da Receita Federal, Estevão de Oliveira.

Mas a greve dos auditores não é o único fator que contribui para o arrefecimento da arrecadação. Outros componentes estão envolvidos, entre eles o próprio esfriamento da atividade econômica do País.

Porém, a mobilização tem forte influência sobre esses resultados, porque 98% de todos os tributos federais e 70% de tudo o que se arrecada no País passam pelas mãos dos profissionais da categoria. “A paralisação traz um prejuízo irrecuperável ao País em um momento de déficit de receitas”, ponderou o presidente do Sindifisco Nacional em Pernambuco, Luis Carlos de Queiroz.

Em Pernambuco há aproximadamente 200 auditores fiscais e 120 analistas tributários da Receita Federal. A grande maioria aderiu ao movimento nacional, cujas negociações foram iniciadas em 2015 e ganharam força a partir do oitavo mês deste ano.

Veja também

Projeto do governo cria marco legal das startups e do empreendedorismo inovador
Brasília

Projeto do governo cria marco legal das startups e do empreendedorismo inovador

Não faz sentido brigar com a China para agradar os EUA, dizem empresários
5G

Não faz sentido brigar com a China para agradar os EUA, dizem empresários