Hilux chega à linha 2019 reestilizada e pode ser vendida por até R$ 197 mil

Picape da Toyota completa 50 anos com novo design, mais equipamentos de série e até versão especial de aniversário

Hilux 2019Hilux 2019 - Foto: Divulgação

Referência no segmento das picapes médias, a Hilux está completando 50 anos. Mas isso não quer dizer que o modelo japonês está ultrapassado. Ao contrário. A Hilux chega à linha 2019 reestilizada, com novo design, mais equipamentos de série e até versão especial de aniversário. São mudanças que deixam o veículo ainda mais robusto e versátil, mas também mais caro: a picape da Toyota agora pode ser vendida por até R$ 197 mil.

Leia também:
Nissan Frontier: uma verdadeira expedicionária
Nova L200 Triton Sport da Mitsubishi: uma experiência de design, diversidade e tecnologia

Para provar que está em forma mesmo aos 50 anos, a Hilux ganhou uma grade frontal maior. É uma grade hexagonal de acabamento cromado que deixa o design da picape ainda mais imponente - mas também mais distante dos traços da SW4. A novidade só está disponível nas versões SRX, SRV e SR. Afinal, as outras versões destinam-se, sobretudo, a trabalhadores e produtores rurais - um público que, segundo a Toyota, se importa mais com a durabilidade, a capacidade de carga, o baixo consumo e o preço da caminhonete, que, neste caso, vai de R$ 112 mil a R$ 140,5 mil.

Já a SRX não se limita a inovar na grade dianteira. É que a versão, que já era a top de linha do modelo, agora foi alçada à condição de “versão comemorativa de aniversário”. Por isso, ganhou, além da nova grade e de um símbolo de 50 anos, capota marítima, rodas aro 18’’ e faróis de neblina. O interior também foi renovado, com painel de instrumentos digital, tonalidade escura, bancos em couro e botão de partida - equipamentos que garantem conforto e até um ar de requinte para os ocupantes.

A Toyota garante, por sua vez, que também há novidades para os produtores rurais que preferem as versões mais simples da Hilux. É que passaram a figurar entre os itens de série das opções standard, cabine simples e cabine chassi as luzes de condução diurna e os bancos revestidos por material sintético. A Standard Power Back ainda ganhou travamento automático das portas, chave canivete, vidros e retrovisores elétricos, rádio com comandos de áudio no volante e entrada USB.

Já a motorização continua a mesma em todas as versões. Apesar de concorrentes da Hilux já apostarem em propulsores mais potentes, como o V6, a picape japonesa segue apostando nos motores 2.8 Turbo Diesel e 2.7 Flex de 16V, que fazem até 177 e 163 cavalos de potência, respectivamente. Já o torque chega a 45,9 kgfm na motorização diesel e a 25 kgfm na flex. E a transmissão pode ser automática de seis velocidades ou manual. Outra diferença entre as versões diesel e flex está na tração, pois todas as opções alimentadas a diesel contam com tração integral. Já as flex podem vir apenas com a tração 4x2.

Mesmo assim, a Toyota garante que a Hilux 2019 tem tudo para agradar o público . A expectativa é vender 40 mil unidades este ano. É um aumento de 15% que ampliaria para 32,5% o share da picape japonesa.

Veja também

Com inflação e crise, 7 em 10 reajustes em dezembro não repõem poder de compra
Economia

Com inflação e crise, 7 em 10 reajustes em dezembro não repõem poder de compra

Bolsa tem segunda semana seguida de queda pela primeira vez desde setembro
Mercado

Bolsa tem 2ª semana seguida de queda desde setembro