Huawei instalará fábrica de equipamentos para rede 5G na França

O local representará um investimento mínimo de 200 milhões de euros e empregará inicialmente 500 pessoas

Lançamentos da Huawei em fevereiro de 2020Lançamentos da Huawei em fevereiro de 2020 - Foto: Isabel Infante/AFP

A gigante chinesa de telecomunicações Huawei instalará na França uma fábrica de equipamentos para a rede 5G - anunciou o presidente do grupo, Liang Hua, em uma coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (27), em Paris. Esta será sua primeira fábrica do tipo fora da China.

O local, que representará um investimento mínimo de 200 milhões de euros e empregará inicialmente 500 pessoas, produzirá equipamentos para todo mercado europeu.

"Fabricará inicialmente equipamentos de rádio (como antenas) e depois expandirá para outros produtos, em função das necessidades do mercado europeu", disse Liang Hua à imprensa francesa.

Segundo a Huawei, a fábrica deverá produzir cerca de 1 bilhão de euros em equipamentos por ano. O grupo planeja um local amplamente automatizado.

O grupo chinês não especificou em que região a fábrica será instalada, nem quando entrará em atividade.

"Criamos um grupo de trabalho que selecionará o local. Interagimos tanto com as comunidades locais quanto com o governo e comunicamos as linhas gerais das nossas necessidades", explicou Liang Hua.

Leia também:

Huawei, uma gigante da tecnologia no centro da guerra comercial entre EUA e China
Com mais tecnologia, brasileiro pode se dedicar mais ao samba, diz presidente da Huawei a jornal
EUA pressionam Brasil contra entrada da chinesa Huawei no mercado de 5G

Este anúncio é feito em um contexto difícil para o grupo chinês, que foi proibido por Washington de usar produtos tecnológicos americanos por um ano.

A Huawei afirma ter conseguido compensar o vácuo, recorrendo a fornecedores europeus e asiáticos.

Os Estados Unidos acusam a Huawei de espionar em nome do governo chinês e pediram a vários países, principalmente na Europa, que não usem a infraestrutura da Huawei para a implantação da nova rede 5G.

Depois do Reino Unido, a França planeja conceder à companhia chinesa um acesso limitado a seu mercado 5G. Já a Alemanha ainda não anunciou sua decisão.

Veja também

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial
Benefício

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão
Restrições

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão