iFood vai testar robôs para entrega de comida e prevê operação em 2020

Os robôs são desenvolvidos pela empresa paulista Synkar e devem ficar prontos em janeiro, quando iniciam os testes

iFoodiFood - Foto: Brenda Alcântara/Arquivo Folha

O aplicativo de entrega de comidas iFood trabalha para incluir robôs automatizados na etapa inicial ou final do processo de delivery, afirmou à reportagem Fernando Martins, gerente de inovação logística da empresa, em evento da marca nesta terça-feira (28), em Osasco (SP).

Os robôs são desenvolvidos pela empresa paulista Synkar e devem ficar prontos em janeiro, quando iniciam os testes. Segundo Martins, a operação comercial está prevista para o segundo semestre de 2020, e dependerá de parcerias com shoppings centers e da regulamentação sobre os veículos automatizados nesses locais.

Leia também:
STJ vai decidir se condomínios podem proibir aluguéis por aplicativos
Conheça o ‘James Delivery’, mais novo aplicativo de entregas no Recife
Shoppings da Região Metropolitana do Recife investem em decoração natalina

De acordo com a empresa, o robô será um complemento do modal de entrega, funcionando na primeira ou última etapa do processo, e funcionará apenas em ambientes controlados, como shoppings ou condomínios.

A ideia da empresa é usar o veículo -que será uma máquina com rodas e um compartimento para o pedido- para buscar a comida na praça de alimentação e levar até o local do motorista, diminuindo o tempo de entrega. "O motorista também pode levar a encomenda até um condomínio sem precisar entrar na área. O robô leva até a casa da pessoa e otimizamos a entrega", afirmou Martins.

Os shoppings precisarão ter centrais dedicadas ao iFood. A operadora de shoppings centers Aliansce Sonae anunciou parceria com a empresa nesta terça, segundo a Reuters. Os primeiros shoppings da marca a criar os espaços serão o D.Pedro Shopping, em Campinas (SP), e o Leblon, no Rio de Janeiro. O iFood entrega mais de 20 milhões pedidos de comida por mês no Brasil.

Veja também

Número de beneficiários do auxílio emergencial sobe para 67,7 milhões
auxílio emergencial

Número de beneficiários do auxílio emergencial sobe para 67,7 milhões

BNDES lança linha de financiamento para serviços tecnológicos
economia

BNDES lança linha de financiamento para serviços tecnológicos