Índice de Confiança do Comércio tem primeira alta no ano

A confiança dos empresários do comércio subiu em oito dos 13 segmentos pesquisados pela FGV

Incêndio provocou prejuízos no comércio do Centro do RecifeIncêndio provocou prejuízos no comércio do Centro do Recife - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O Índice de Confiança do Comércio, da Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 1,8 ponto de maio para junho e chegou a 93,2 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Essa foi a primeira alta do indicador em 2019. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (26), no Rio de Janeiro, pela FGV.

A confiança dos empresários do comércio subiu em oito dos 13 segmentos pesquisados pela FGV. O Índice de Expectativas, que mede a confiança do empresariado no futuro, avançou 5,1 pontos para 99,9 pontos, depois de quatro quedas consecutivas.

Leia também:
Senac promove curso sobre comércio nas redes sociais
Comércio varejista recua 0,6% de março para abril, diz IBGE


Por outro lado, o Índice de Situação Atual, que mede a confiança dos empresários no presente, recuou 1,5 ponto em junho, indo para 86,8 pontos, menor valor desde dezembro de 2017 (86,0 pontos).

Segundo o pesquisador da FGV Rodolpho Tobler, a melhora das expectativas sugere que ainda há “um processo de calibragem depois de fortes quedas ao longo do início do primeiro semestre”.

Já a queda dos indicadores de situação atual mostra que os empresários do setor estão incomodados com o ritmo das vendas, “reforçando o cenário de recuperação gradual, dada a vagarosa recuperação do mercado de trabalho e o nível baixo da confiança dos consumidores”.

Veja também

AD Diper e Sebrae oferecem curso de inserção no meio digital para artesãos
Capacitação

AD Diper e Sebrae oferecem curso de inserção no meio digital para artesãos

Covid e desigualdade em alta devem emperrar reformas e favorecer extremistas
Coronavírus

Covid e desigualdade em alta devem emperrar reformas e favorecer extremistas