Indústria cresce em 11 das 15 regiões em agosto, aponta IBGE

Pernambuco (2,1%), apresentou crescimento superior à média nacional; Em comparação à 2018, crescimento registrou queda de -9,2%

Produção industrialProdução industrial - Foto: Amanda Oliveira/GovBA

A indústria cresceu em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em agosto de 2019, divulgou o instituto nesta segunda-feira (8). A alta nacional foi de 0,8% do sétimo para o oitavo mês do ano. O Amazonas foi o que registrou o maior avanço, 7,8%, seguido por Pará (6,8%) e São Paulo (2,6%). Ceará (2,4%), Pernambuco (2,1%), Rio de Janeiro (1,3%), Mato Grosso (1,1%) e Minas Gerais (1,0%) foram outros estados que cresceram acima da média nacional.

No caso do Pará, o local marcou o quarto resultado positivo seguido, com expansão de 83,2% no período. "A retomada da produção em algumas unidades do setor extrativo, antes paralisadas pelos efeitos do rompimento de uma barragem de rejeitos de mineração em Brumadinho (MG), explica o comportamento positivo da indústria paraense nos últimos meses", disse o IBGE.

As unidades produtoras de minério paraenses precisaram paralisar a produção para realizar medidas de segurança e de proteção ao meio ambiente após a tragédia em Brumadinho, que teve um saldo de 249 mortos e 21 desaparecidos, e é considerada o maior desastre ambiental brasileiro.

Leia também:
Informalidade no mercado de trabalho atinge recorde, diz IBGE
Fala de secretário da Economia sobre socialismo é chamada de 'anacrônica' em evento da indústria
Inflação medida pelo IGP-DI sobe para 0,50% em setembro

Paraná (0,3%), região Nordeste (0,2%) e Goiás (0,2%) também tiveram índices positivos em agosto, mesmo que abaixo da média nacional. Já Rio Grande do Sul (-3,4%), Santa Catarina (-1,4%), Espírito Santo (-1,4%) e Bahia (-0,1%) registraram números negativos no oitavo mês do ano.

Em São Paulo, o crescimento foi de 2,6% em agosto, influenciado pelo aumento na produção de açúcar. O registro interrompeu três meses de taxas negativas na indústria paulista, mas o setor industrial no local mostra retração de 0,7% no índice acumulado do ano.

"A influência positiva na indústria paulista veio, entre outros fatores, do crescimento na produção de açúcar, pois estamos no meio da safra de cana-de-açúcar de 2018 e 2019", disse.

Já em comparação com agosto do ano passado, o setor industrial teve um recuo de 2,3%, com queda em oito dos quinze locais pesquisados pelo IBGE. Porém, o oitavo mês de 2019 teve um dia útil a menos do que o mesmo período de 2018.

Ainda comparado com agosto de 2018, o Espírito Santo registrou queda acentuada de 16,2%, reflexo das quedas nas indústrias extrativas e de produtos alimentícios.
Nordeste também teve recuo alto, de 10,1%, devido à redução nas indústrias de automóveis, produtos químicos, produtos alimentícios e celulose.

Bahia (-9,3%), Pernambuco (-9,2%), Mato Grosso (-6,5%), Minas Gerais (-6,5%), Rio Grande do Sul (-6,3%) e Santa Catarina (-3,1%) foram outros locais com recuo na produção nesse mês.

Veja também

TJPE libera realização de provas de Concurso Público em Gravatá
Justiça

TJPE libera realização de provas de Concurso Público em Gravatá

Carrefour anuncia que vai deixar de usar seguranças terceirizados
Serviço nas lojas

Carrefour anuncia que vai deixar de usar seguranças terceirizados