Indústria: inovar para sobreviver

Tema foi debatido no 1º Congresso da Micro e Pequena Indústria da Fiepe

Evento foi realizado na Fiepe Evento foi realizado na Fiepe  - Foto: Divulgação/Fiepe

Se para micro e pequenas empresas a inovação e tecnologia é importante, para as indústrias utilizar desses serviços é algo fundamental para que a empresa esteja presente e reforçando a sua atuação. De acordo com especialistas, a modernização e atualização em qualquer setor devem ser priorizadas pelos empresários.

O assunto foi debatido na última semana durante o I Congresso da Micro e Pequena Indústria da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe).

Leia também:
Desenvolve.Aí! incentiva interação entre startups e indústria
Inovação é destaque da 14ª edição da Super Mix


A superintendente da Fiepe, Fernanda Mançano, aponta que a inovação para as indústrias é uma questão de sobrevivência, e é possível inovar em diversos aspectos no setor. “Em Pernambuco 95% das indústrias são micro e pequenas, e para eles inovação ainda é uma coisa muito distante, existe uma cultura de que não se inova sem ser uma coisa muito disruptiva, muito diferente, a inovação é uma questão de sobrevivência, ou você inova ou alguém faz no seu lugar. Existe como inovar no processo, como otimizar mão de obra, equipamentos, maquinário, existem diversas formas de inovar”, disse Fernanda.

O diretor de competitividade e inovação do Porto Digital, Heraldo Ourem, foi um dos palestrantes durante a ocasião, e destacou que essas empresas desse porte sustentam a economia brasileira, e que é preciso utilizar esses recursos a favor das indústrias e empresas. “A micro e pequena indústria é o que sustenta a economia do nosso país. No porto, das nossas 300 empresas, mais de 80% são pequenas. Isso é um reflexo em todo o País. O que temos são desafios que se colocam nos aspectos atuais, transformação digital, de estratégia, independente do tamanho, tem que atravessar o seu negócio e passar por estratégias. O empresário tem que atender a demanda do mercado, e ser competitivo”, destacou.

De acordo com a diretora regional do Senai Pernambuco, Camila Barreto, as indústrias de qualquer porte precisam acompanhar os processos tecnológicos para permanecer com competitividade. “A indústria precisa também acompanhar a modernização, sempre atualizando, estando com profissionais que estejam atualizados, e buscando sempre inovação, produtividade, tecnológica e de processos, ter uma indústria mais automatizada, enxuta, competitiva, na forma de fazer diferente. A indústria tem que se atualizar pra ser competitiva”, destacou.

Veja também

Justiça suspende revogação de normas de proteção a mangues e restingas

Justiça suspende revogação de normas de proteção a mangues e restingas

Justiça de Alagoas suspende leilão para concessão de saneamento
Água

Justiça de Alagoas suspende leilão para concessão de saneamento