Consumo

Inflação da feira: por que a cenoura e o tomate estão tão caros?

Disparada de preço este ano têm um vilão em comum: o preço do frete

CenourasCenouras - Foto: Pixabay

Primeiro foram as carnes, que dispararam de preço no ano passado. Mas, em 2022, nem os veganos escaparam da alta da inflação. Frutas, legumes e verduras deram um salto, assustando o consumidor. A cenoura superou os R$ 12 por quilo, o tomate já é vendido a unidade em algumas feiras; deu a louca nos preços.

No resultado da inflação de abril, divulgado pelo IBGE na manhã desta quarta-feira, dos 20 itens que mais subiram este ano, nada menos do que 18 são legumes, tubérculos, hortaliças e frutas. 

A cenoura é a líder inquestionável, com alta de 150%. Em seguida, vem o repolho (76%), a batata-inglesa e a abobrinha, ambas com 68%. 

Mas por que, afinal, este ano ficou tudo tão mais caro? O que explica esse aumento? 

Todos os anos, por causa das chuvas de verão, os preços dos chamados hortifrutigranjeiros ficam mais caros. O excesso de água prejudica as colheitas e, sazonalmente, encarece esses itens. 

Mas, em 2022, a pressão ganhou um “combustível” extra: o forte aumento do diesel. Como o frete tem forte peso na composição desses preços, o reajuste do diesel encareceu, e muito, os produtos na feira. 

O óleo diesel teve alta média de 19% este ano, segundo os dados do IBGE. E integra, assim, ao lado de 18 hortigranjeiros, a lista dos 20 produtos que mais encareceram em 2022.  

E se as chuvas já deram trégua e a tendência, nos próximos meses, é de um alívio nos preços de frutas e legumes, a pressão do diesel não vai diminuir.  

Por isso, dizem analistas, alguns itens podem até ficar mais baratos, mas não devem retomar ao patamar de preços visto no ano passado.

Veja também

"Pais digitais" se espalham pela web e geram polêmica: fenômeno ameaça família tradicional?
internet

"Pais digitais" se espalham pela web e geram polêmica: fenômeno ameaça família tradicional?

Não entendeu o apagão cibernético? Reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre a pane global
MUNDO

Não entendeu o apagão cibernético? Reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre a pane global

Newsletter