Economia

Inflação inédita em 20 anos deixa geração de jovens sem perspectiva

Desde o período entre os meses de novembro de 2002 e 2003 o país não experimenta um surto inflacionário como o atual

DinheiroDinheiro - Foto: Agência Brasil

Jovens hoje com entre 20 e 30 anos de idade experimentam pela primeira vez inflação alta, prolongada e dispersa entre os preços de vários produtos e serviços regulares, de transportes a alimentos.

Em março, a inflação medida pelo IPCA atingiu 11,3% no acumulado em 12 meses. Foi o sétimo mês consecutivo em dois dígitos. É cenário que não se via desde o surto inflacionário registrado entre os meses de novembro de 2002 e 2003, sob influência do dólar.

Para os jovens que se mantêm sozinhos, principalmente, pesa ainda o alto desemprego. Nascidos na estabilidade do Plano Real, e por isso sem qualquer memória de um país com realidade inflacionária, são os com maior dificuldade para encontrar uma vaga no mercado de trabalho e ampliar a renda.
 

Há um ano, o estudante de História Gabriel Masello, de 21 anos, por exemplo, deixou a casa dos pais, em Niterói, para morar mais perto da escola em que trabalha, no Rio.

O que parecia o início de uma vida independente exigiu uma adaptação. A alta dos custos domésticos o obrigou a dividir o apartamento alugado com um amigo, que vive as mesmas agruras.

Para entender o desafio enfrentado pelos mais jovens para encaixar despesas regulares como aluguel, luz e alimentação no orçamento em meio à alta da inflação, leia e reportagem completa, exclusiva para assinantes do GLOBO. 

Veja também

Dia dos pais deve movimentar mais de R$ 180 milhões em Pernambuco
Dia dos pais

Dia dos pais deve movimentar mais de R$ 180 milhões em Pernambuco

Lula diz que combate à fome é "escolha política"
G20

Lula diz que combate à fome é "escolha política"

Newsletter