Economia

INSS vai prorrogar auxílio-doença automaticamente até agências reabrirem

A prorrogação automática já era possível devido à pandemia e, agora, foi ampliada

INSSINSS - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Segurados do INSS que recebem o auxílio-doença terão o benefício prorrogado automaticamente enquanto as agências estiverem fechadas para conter o avanço do novo coronavírus. A medida atende a decisão da ação civil pública nº 2005.33.00.020219-8.

A prorrogação automática já era possível devido à pandemia e, agora, foi ampliada. De acordo com a Portaria 552, publicada nesta quarta-feira (29) no "Diário Oficial da União", os pedidos de prorrogação serão efetivados de forma automática a partir da solicitação, por 30 dias, ou até que a perícia médica presencial retorne, limitado a seis pedidos.

"Quando o segurado não fazia perícia, o benefício podia ser prorrogado até duas vezes. Agora, poderá ser prorrogado até seis vezes", explica a advogada Adriane Bramante, presidente do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário).

Leia também:
Segurados do INSS poderão receber benefício direto em conta corrente
INSS decide manter agências fechadas para conter o coronavírus


O INSS afirma que, para resguardar o direito do segurado, também prorrogará automaticamente aqueles auxílios que foram concedidos por decisão judicial ou em que a última ação tenha sido de estabelecimento ou, ainda, via recurso médico.

A decisão atinge todos os beneficiários que fizeram o pedido de prorrogação a partir do dia 12 de março deste ano, além dos pedidos de prorrogação já agendados e que, por causa da pandemia, não passaram pela perícia médica presencial.

"Quem já está recebendo o auxílio-doença vai ter prorrogação, independente de anexação de atestado ou qualquer outra forma de procedimento", afirma Roberto de Carvalho Santos, do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários).

De acordo com o especialista, a portaria prorroga o período do benefício com o mesmo valor que o segurado está recebendo, sem a necessidade de ele apresentar nenhum outro documento.

Nesta terça-feira (28), a reportagem apurou que as agências em todo o país vão continuar fechadas após o dia 30 deste mês, para quando estava prevista a retomada do atendimento presencial.

Os postos do órgão responsável por conceder e pagar aposentadorias, pensões e auxílios-doença fecharam suas portas oficialmente em 23 de março devido à quarentena necessária para frear a propagação do novo coronavírus. Em São Paulo, as unidades estão fechadas desde 19 de março.

Não há, por enquanto, informações sobre a data em que o atendimento em locais físicos será restabelecido. Enquanto as unidades estiverem fechadas, os requerimentos de serviços previdenciários e assistenciais continuarão a ser realizados por meio dos canais remotos, que são o aplicativo ou o site Meu INSS e central de atendimento pelo telefone 135.

Aqueles que não forem atendidos devido ao fechamento dos postos terão preservadas as suas datas de requerimento de benefício e receberão todos os valores atrasados.

Enquanto as agências do INSS estão fechadas, quem precisa pedir o auxílio-doença deve acessar o Meu INSS, disponível por aplicativo para celular ou no site meu.inss.gov.br, para encaminhar imagens do seu atestado médico para novos pedidos de auxílio-doença.

Assim, o benefício pode ser aprovado sem a necessidade de o segurado comparecer a uma agência da Previdência para passar pela perícia médica. Com o novo sistema, a análise do médico perito é feita com base na documentação enviada pela internet. Até a conclusão da análise, porém, o INSS antecipa três parcelas no valor de um salário mínimo (R$ 1.045) ao requerente.

Veja também

Bolsonaro critica dificuldades para indicar quarto presidente da Petrobras
Gestão

Bolsonaro critica dificuldades para indicar quarto presidente da Petrobras

Brasil aposta em fertilizantes naturais para reduzir dependência russa
Setor Agrícola

Brasil aposta em fertilizantes naturais para reduzir dependência russa