Inteligêncial artificial é aliada das companhias

De acordo o estudo da Walker Information, estamos vivenciando o que eles chamam de “A Era do Cliente”

Ana Quitéria (no alto) revela as dificuldades que tem para encontrar produtos veganos.  Para Fredi Maia (abaixo), os novos consumidores buscam  as empresas que fazem o melhor para o mundoAna Quitéria (no alto) revela as dificuldades que tem para encontrar produtos veganos. Para Fredi Maia (abaixo), os novos consumidores buscam as empresas que fazem o melhor para o mundo - Foto: Arthur de Souza

Não há nada mais gratificante para uma empresa do que ter a resposta de um cliente. Saber se ele gostou do produto ou serviço que ela oferta, por exemplo. No entanto, com a evolução do consumo, com cada vez mais pessoas dando essa resposta, tanto positiva quanto negativa para o mundo ver - pelas redes sociais -, nunca foi tão urgente o redimensionamento empresarial focado nessa demanda de consumo.

De acordo o estudo da Walker Information, estamos vivenciando o que eles chamam de “A Era do Cliente”, na qual os compradores sabem mais e esperam mais das empresas. Neste sentido, se destacam as empresas mais visionárias - aquelas que conscientemente e deliberadamente trabalham para antecipar as necessidades futuras e criar uma experiência que os consumidores valorizem.

Leia também:
Amazon investiga venda de dados confidenciais, segundo o WSJ
Nubank, OLX, Uber e Netflix: evento em SP debate experiência do consumidor digital


No Brasil, a Natura, por exemplo, tem se adequado para atender essas exigências. “Temos uma relação muito próxima com nossos clientes e, com isso, estamos sempre ouvindo suas aspirações e desejos, tanto presencialmente, como acontece com nossas consultoras, como nos canais que nos conectam com consumidores, pelas mídias sociais”, revela o diretor de Negócios Digitais da Natura, Murillo Boccia.

Da mesma forma que a Natura, não é difícil verificar grandes marcas se adaptando a essa realidade atualmente. Baseado no sucesso de assistentes pessoais como a Siri (encontrada no sistema operacional da Apple) e a Cortana (inteligência artificial da Microsoft), o banco Bradesco criou a sua própria: a BIA (Bradesco Inteligência Artificial). Disponível para os clientes a partir do aplicativo da empresa, a tecnologia traz diversas funções, dentre elas a conferência de extratos, a verificação de atualizações sobre a bolsa de valores, além de processos como transferências bancárias e pagamentos.

E o Bradesco não está sozinho nesta evolução no atendimento: o grupo NET/Claro implementou em sua operação de cobrança pontos de atendimento digitais com interações por voz, WhatsApp, SMS, Telegram e Facebook, todos integrados entre si e com uma comunicação contínua.

De acordo com o executivo Alberto Sampaio de Oliveira, diretor de Relacionamento com o Cliente da VoxAge, companhia desenvolvedora de soluções multicanal de atendimento, apesar de inovadoras, a implementação destas tecnologias é apenas o começo na trajetória da otimização dos serviços para a melhoria da vida dos consumidores. Para ele, treinar a inteligência artificial a realizar os atendimentos e retroalimentar o sistema com os ensinamentos, por exemplo, é um desafio ainda maior.

Veja também

TCU aponta ilegalidade em uso de dinheiro do SUS para distribuir cloroquina e cobra Pazuello
Saúde

TCU aponta ilegalidade em uso de dinheiro do SUS para distribuir cloroquina e cobra Pazuello

Dólar recua para R$ 5,32 após divulgação de ata do Copom
Câmbio

Dólar recua para R$ 5,32 após divulgação de ata do Copom