A-A+

Intenção de consumo das famílias tem alta em setembro

O índice mensal subiu 1,1% em relação a agosto, passando de 86,5 pontos para 87,5 pontos

O índice mensal subiu 1,1% em relação a agostoO índice mensal subiu 1,1% em relação a agosto - Foto: Valter Campanato/Arquivo Agência Brasil

A intenção de consumo das famílias cresceu em setembro, segundo indicador da Federação do Comércio de São Paulo (Fecomercio-SP) divulgado nesta segunda-feira (1º). O índice mensal subiu 1,1% em relação a agosto, passando de 86,5 pontos para 87,5 pontos. Em comparação com setembro de 2017, quanto o indicador marcava 79 pontos, a alta ficou em 10,8%.

O índice da intenção de consumo é medido mensalmente, desde 2010, em uma escala de zero a 200 pontos, a partir de uma base de 2,2 mil consumidores do município de São Paulo. Resultados abaixo de 100 pontos indicam uma insatisfação dos consumidores com o cenário.

Leia também:
Número de consumidores que quitaram dívidas é o maior desde 2015
Confiança do consumidor cai 1,7 ponto em setembro
Pesquisa da CNI mostra que otimismo do consumidor aumenta
Saiba quais são os direitos do consumidor endividado
Um terço das empresas brasileiras tem dificuldades financeiras, diz Serasa


Os consumidores demonstraram satisfação nos itens relacionados ao trabalho. O índice relativo ao emprego atual marcou 110,2 pontos e as perspectivas profissionais ficaram em 11,8 pontos. Em relação a setembro do ano passado, ambos registraram alta de 8%.

As famílias ainda estão, segundo o estudo, indispostas para gastar no momento atual. Mais da metade (55%) dizem que estão comprando menos do que há um ano. O item relativo a consumo atual está em 60,3 pontos, enquanto o que mede a disposição para adquirir bens duráveis (geladeira, TV, fogão) está em 60,7 pontos. É maior ainda o percentual (66,5%) que avalia que é um mau momento para comprar esse tipo de produto.

Crédito difícil
O acesso ao crédito registrou queda na percepção, passando de 87,7 pontos em agosto, para 85,6 pontos. Mesmo assim, o patamar é 11% melhor do que os 77,1 pontos registrados em setembro de 2017. O estudo mostrou que 43% das famílias paulistanas encontram dificuldades para financiamento de compras. Para a Fecomercio, isso é um reflexo do aumento do endividamento e da inadimplência, que fez com que os bancos restringissem o acesso ao crédito.

De modo geral, a Fecomercio avalia que a satisfação dos consumidores ainda está em processo de recuperação depois da greve dos caminhoneiros, em maio.

Metodologia
O índice é apurado mensalmente com dados de 2,2 mil consumidores no município de São Paulo. Ele é composto por sete itens: emprego atual; perspectiva profissional; renda atual; acesso ao crédito; nível de consumo atual; perspectiva de consumo; e momento para duráveis.

Veja também

Energia solar em casa ganha impulso com alta na conta de luz e home office
setor elétrico

Energia solar em casa ganha impulso com alta na conta de luz e home office

Programa treinee da Gerdau tem mais de 200 vagas abertas; veja como se inscrever
Blog dos Concursos

Programa treinee da Gerdau tem mais de 200 vagas abertas; veja como se inscrever