Ipem fiscaliza materiais escolares vendidos na RMR

Objetivo é verificar se objetos são certificados e atendem requisitos de segurança do Inmetro

Prefeito Geraldo Julio assinou Projeto de Lei para tramitação na Câmara Municipal Prefeito Geraldo Julio assinou Projeto de Lei para tramitação na Câmara Municipal  - Foto: Andréa Rêgo Barros/ PCR

O Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (Ipem-PE) deu início nesta segunda-feira (9) à operação Volta às Aulas. Até a próxima sexta-feira (13), o órgão vai fiscalizar materiais comercializados para checar se são certificados e atendem os requisitos de segurança estabelecidos pelas portarias do Inmetro.

Durante a ação, os fiscais visitarão estabelecimentos comerciais que oferecem esses produtos, onde verificarão se há informações obrigatórias nos rótulos dos produtos, como também se os materiais escolares regulamentados apresentam o selo do Inmetro. O objetivo é evitar acidentes que possam colocar em risco a saúde de crianças que utilizam os produtos. A utilização de materiais tóxicos em itens que podem ser levados à boca; apontadores que podem ser desmontados, causando cortes e pontas cortantes em réguas e tesouras são alguns pontos verificados nos 25 itens que passam pela avaliação.

As empresas notificadas devem enviar as notas fiscais, comprovando a origem dos produtos e, após análise, será montado um processo administrativo no qual a empresa fornecedora será notificada e terá dez dias para apresentar a defesa.

A penalidade para os estabelecimentos que venderem materiais irregulares varia de advertência a multa de R$ 100 a R$ 1,5 milhão.

Veja também

Grandes empresas pedem que governo antecipe prazo para zerar emissões de poluentes
Meio Ambiente

Grandes empresas pedem que governo antecipe prazo para zerar emissões de poluentes

Fundador do Google entra em seleta lista de pessoas com mais de US$ 100 bilhões
Fortuna

Fundador do Google entra em seleta lista de pessoas com mais de US$ 100 bilhões