Japão critica a política comercial dos Estados Unidos

Tóquio usou palavras duras e pouco frequentes para criticar a política comercial de Donald Tump, durante reunião do G7

Trabalhador checa rolos de alumínio numa fábrica em Zouping, na ChinaTrabalhador checa rolos de alumínio numa fábrica em Zouping, na China - Foto: AFP

As tarifas impostas pelo governo dos Estados Unidos aos aliados mais próximos pode ter um grave impacto nas relações e no sistema de comércio mundial, afirmou o governo japonês, que considera a situação "extremamente deplorável".

O governo americano ficou isolado em uma reunião de ministros das Finanças do G7 no fim de semana no Canadá, que tinha como objetivo abordar as tarifas de importação ao aço e alumínio. Tóquio usou palavras duras e pouco frequentes para criticar a política comercial de Donald Tump.

"É extremamente deplorável que a situação não tenha melhorado, mesmo depois que o Japão explicou aos Estados Unidos suas preocupações em vários níveis", disse o porta-voz do governo, Yoshihide Suga.

Leia também:
Investidores brasileiros buscam visto de residência nos EUA
EUA anunciam tarifas ao aço e alumínio da UE, Canadá e México

A relação entre Tóquio e Washington, até agora aliados próximos, foi afetada pelas recentes divergências no comércio, depois que o governo dos Estados Unidos se negou a dar ao Japão uma isenção tarifária, que entrou em vigor na sexta-feira. "As medidas comerciais do governo dos Estados Unidos, citando sua segurança, nos preocupam pela possibilidade de perturbar o mercado global", declarou Suga.

"Além disso, acreditamos que pode ter um grave impacto na cooperação econômica entre os aliados do Japão e os Estados Unidos e, em geral, no sistema de comércio multilateral sob as regras da OMC (Organização Mundial do Comércio)".

Veja também

Projeto exige que empresa pague dívida com a União antes de aumentar tarifa
Economia

Projeto exige que empresa pague dívida com a União antes de aumentar tarifa

Alemanha investiga Apple por práticas desleais
Tecnologia

Alemanha investiga Apple por práticas desleais