Tecnologia

Lançamento do PlayStation 5 prepara a batalha com o Xbox para o Natal

Os dois consoles serão lançados com um intervalo de poucos dias

PlayStation 5PlayStation 5 - Foto: Divulgação

A Sony lançará em novembro o aguardado PlayStation 5, a tempo de lutar contra o rival da Microsoft, o console Xbox Series X, em um período de Natal marcado pela pandemia de coronavírus, que aumentou a procura pelos jogos eletrônicos.

Os dois consoles serão lançados com um intervalo de poucos dias, ambos com o objetivo de capitalizar um cenário raro em um ambiente de crise provocado pela pandemia em muito setores da economia. 

Além da versão premium de 500 dólares do PS5, também será lançada uma "edição digital" de 400, sem uma unidade de disco para aproveitar a crescente popularidade do download de jogos da nuvem. 

Estas versões do PS5 chegarão às lojas em 12 novembro na Austrália, América do Norte, Nova Zelândia, Japão e Coreia do Sul. Outros países receberão os produtos uma semana depois, de acordo com a empresa japonesa.

A Microsoft anunciou na semana passada que o Xbox Series X será lançado em 10 de novembro. O preço inicial é quase o mesmo que o do PS5 completo, enquanto o Xbox Series S, o modelo mais barato, será vendido no fim de novembro por US$ 299.

O PS4 vendeu mais que o dobro do Xbox One. E a Sony espera que jogos como "Final Fantasy XVI", "Hogwarts Legacy" e "Spider-Man Morales" ajudem a empresa a manter a hegemonia. 

Alguns jogos novos serão exclusivos para o PS5, o que dará a Sony uma grande vantagem, opina Amir Anvarzadeh, estrategista da Asymmetric Advisors em Singapura.

"O PS5 terá uma grande vantagem como sempre teve, porque na Europa o PlayStation domina e o Xbox sempre está muito atrás", disse à AFP. "Mas para que os jogos do PS5 sejam vendidos, você precisa do hardware para vender".

- Grande demanda -

A Sony alardeou as capacidades do novo PS5 durante a apresentação do produto. 

"Mal podemos esperar que nossos fãs experimentem por si mesmos a incrível velocidade, a maior imersão e os jogos de tirar o fôlego", afirmou o diretor da Interactive Entertainment, Jim Ryan. 

As empresas de jogos registraram um aumento do faturamento e uma explosão das vendas, já que muitas pessoas procuraram uma distração durante os confinamentos decretados para conter o coronavírus. 

De acordo com o NPD Group, o gasto dos consumidores em jogos eletrônicos nos Estados Unidos atingiu o recorde de 11,6 bilhões de dólares no segundo trimestre do ano, quase um terço a mais que no mesmo período do ano anterior. 

As vendas do setor de jogos eletrônicos da Sony aumentaram 32,5% no primeiro trimestre fiscal de 2020-21.

A Microsoft anunciou em julho que a sua receita amentou 13%, a US$ 38 bilhões, estimulada pelo faturamento com a computação em nuvem e os serviços de jogos para Xbox. 

Mas Anvarzadeh alerta que os elevados números recentes, incluindo o grande sucesso da Nintendo com "Animal Crossing", não devem durar muito. 

"A Nintendo vai ter (o equivalente a) três trimestres de Natal em um ano, o que é inédito", disse.

“A pandemia provocou uma grande distorção do mercado que não acreditamos que se repetirá”, acrescentou. "Portanto, todos os desenvolvedores e proprietários de plataformas enfrentarão muitos desafios no próximo ano, pelo menos do ponto de vista do crescimento".

Veja também

Guedes diz que acordos políticos dificulta privatizações
economia

Guedes diz que acordos políticos dificulta privatizações

Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir desta terça (27)
petrobras

Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir desta terça (27)