Levy diz que BNDES pagará R$ 30 bi ao Tesouro no início de maio

O presidente participa de evento em Nova York

Joaquim Levy, presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)Joaquim Levy, presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Em conversa com investidores em Nova York, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), Joaquim Levy, afirmou que prevê que o banco pague R$ 30 bilhões ao Tesouro Nacional no início de maio.

Levy é um dos convidados do XP Investments Conference Brazil: First 100 Days. Também participam do evento nesta quarta-feira (10) o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos.

Na quinta-feira (11), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), falarão aos investidores. O valor a que Levy se refere trata-se de uma operação de pagamento antecipado de empréstimos pelo BNDES de contratos firmados entre 2008 e 2014.

Leia também:
BNDES financia US$ 10 bi para exportação de serviços de engenharia
BNDES lança programa de apoio a projetos culturais
BNDES apresenta nova linha de crédito para micro e pequena empresas

O presidente do banco também afirmou que a instituição estuda reduzir sua exposição a algumas empresas, adotando o modelo utilizado na venda das participações do BNDES da Suzano.Ex-ministro da Fazenda de Dilma Rousseff (PT) e ex-secretário do Tesouro no governo Lula, Levy foi questionado sobre suas perspectivas do atual governo, em comparação com suas experiências anteriores.

Ele afirmou que, por anos, o Brasil vive uma curva ascendente, provando que a macroeconomia tinha uma gestão institucionalizada. "Infelizmente, entre 2011 e 2014, muitas coisas enfraqueceram de um jeito dramático", afirmou, justificando que medidas "um pouco mais radicais" precisam ser tomadas para recuperar a confiança no país."Agora precisamos ser mais vigorosos sobre as privatizações, para virar essa página", disse Levy.

Veja também

Morre Carlos Langoni, ex-presidente do BC, vítima de complicações da Covid-19
Luto

Morre Carlos Langoni, ex-presidente do BC, vítima de complicações da Covid-19

Mega-Sena: aposta única leva prêmio de R$ 43,2 milhões
Loteria

Mega-Sena: aposta única leva prêmio de R$ 43,2 milhões