Líder no Senado prevê receber proposta de flexibilização orçamentária nesta terça

O senador disse acreditar que a proposta seja formalizada apenas após a conclusão da votação da reforma da Previdência na Casa

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra CoelhoO líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou que deve receber na terça-feira (1º) uma proposta informal do Ministério da Economia sobre a flexibilização orçamentária, eixo da discussão do pacto federativo que irá tratar especificamente dessa questão, englobando a desvinculação, a desoneração e a desobrigação.

O senador disse acreditar, no entanto, que a proposta seja formalizada apenas após a conclusão da votação da reforma da Previdência na Casa. A votação em primeiro turno da reforma está prevista para a terça-feira, e há a expectativa que o Senado conclua o segundo turno até 10 de outubro.

"Amanhã [terça] vou receber a proposta do Ministério da Economia e nós vamos receber a orientação de como é que nós vamos formalizar isso", disse Bezerra a jornalistas.

Leia também:
Deputado relator da lei orçamentária dobra fundo eleitoral para 2020
Alcolumbre: reforma da Previdência pode ter mais de 60 votos no Senado


"Eu acredito que a gente vá formalizar isso após a conclusão da Previdência", afirmou. "Com a conclusão da Previdência, a gente vai entrar na questão da flexibilização orçamentária."

Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez forte defesa da necessidade de desvinculação e desindexação do Orçamento por meio de novo pacto federativo, mas indicou que, para além do salário mínimo, outras despesas podem continuar carimbadas, como as ligadas à educação básica e à saúde preventiva.

Segundo Guedes, o governo vai encaminhar sua proposta de pacto federativo na direção de ampla desvinculação, desobrigação e desindexação do Orçamento assim que o Senado aprovar a reforma da Previdência. Ele estimou que isso ocorrerá em cerca de três semanas.

A ideia é que a proposta comece a tramitar pelo Senado. Para tanto, será necessário que um senador apresente a matéria, já que uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) enviada pelo Executivo necessariamente é analisada primeiro pela Câmara dos Deputados.

Veja também

Não há sinal de fim de recessão e economistas já veem 2021 como ano perdido
Economia

Não há sinal de fim de recessão e economistas já veem 2021 como ano perdido

Disney fechará pelo menos 60 lojas físicas na América do Norte este ano
Consumo

Disney fechará pelo menos 60 lojas físicas na América do Norte este ano