Mães com direito a auxílio emergencial de R$ 1.200 receberão a partir do dia 14

Segundo a lei que criou auxílio, mães solteiras que se encaixam nas regras para ter o auxílio recebem cota dupla, de R$ 1.200. Veja como acompanhar e receber o auxílio emergencial

Aplicativo Caixa Auxílio EmergencialAplicativo Caixa Auxílio Emergencial - Foto: Isabelle Barbosa / Folha de Pernambuco

As mães responsáveis pelo sustento da família receberão o auxílio emergencial de R$ 1.200 no próximo lote que a Caixa Econômica pagará, previsto para a próxima terça (14). Para ser contemplada, é preciso se encaixar nos critérios definidos na lei que criou o auxílio emergencial do coronavírus. O auxílio será pago em três parcelas.

Segundo a lei que criou auxílio, mães solteiras que se encaixam nas regras para ter o auxílio recebem cota dupla, de R$ 1.200. Veja como acompanhar e receber o auxílio emergencial.

Segundo o vice-presidente da Caixa, Paulo Henrique Angelo, todas as mães com direito estarão neste segundo lote, até as que não são clientes da Caixa e do Banco do Brasil. "As análises de quem vai receber ou não R$1.200 estão sendo feitas para o segundo lote", afirma.

Leia também:
Renda mínima emergencial pode beneficiar mais de 20% da população

Veja como é o cadastro para o auxílio emergencial e quem poderá receber os R$ 600

A Caixa depositou o auxílio emergencial de R$ 600 para 2,5 milhões de pessoas nesta quinta-feira (9). No total, foram liberados benefícios a 2,1 milhões eram clientes da Caixa e 436 mil correntistas do Banco do Brasil. O primeiro lote incluiu apenas trabalhadores que já faziam parte do Cadúnico (cadastro do governo federal para programas sociais) e com conta nos bancos públicos.

Ao consultarem o cadastro e as contas bancárias e perceberem que não tinham recebido o auxílio, mães ficaram com medo de não ter acesso ao benefício emergencial. No aplicativo e no site, o sistema informava apenas que o benefício estava em análise.

É o caso de Andreia Oliveira, de 24 anos, que é MEI (Microempreendedora Individual) e tem uma filha de 4 anos. Mesmo tendo uma conta na Caixa, reclama que ainda não recebeu o benefício de R$ 1200.

"Estou há dois dias verificando meu saldo no aplicativo do banco e nada. Muitas vezes o sistema fica fora do ar e nem o acesso consigo, deve ter muita gente tentando ver pelo celular se o dinheiro finalmente caiu. Fiquei esperançosa com a possibilidade, pois meu negócio está parado desde o começo da quarentena e esse dinheiro faria toda a diferença, mas não chegou nenhum auxilio para mim", diz ela.

Sthefany Araújo, 19 anos, está desempregada e tem um filho. Ela tem direito aos R$ 1200 do benefício, mas, mesmo sendo inscrita no Cadúnico, reclama que ainda não recebeu o dinheiro. "Como já tenho o Cadúnico não precisei fazer a inscrição, só estou acompanhando pelo site do auxílio o meu status, ele continua em análise. Não tenho o aplicativo do banco e fui até um caixa eletrônico da Caixa, descobri que o dinheiro ainda não chegou na minha conta. Achei estranho, já que muitas pessoas que têm o Cadúnico receberam. Vi que outras mães que sustentam suas casas não receberam, deve ser por isso que eu também não", relata Sthefany.

No total, a Caixa já conta com 31,5 milhões de brasileiros cadastrados e 272 milhões de visitas desde que o aplicativo e o site foram liberados. O número de cadastrados refere-se apenas aos brasileiros que ainda não faziam parte do Cadúnico.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE
SONEGAÇÃO

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão
CONTA DE LUZ

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão