Pernambuco

MPPE: Mais de 14 mil servidores receberam auxílio emergencial de forma indevida em Pernambuco

Ministério Público de PernambucoMinistério Público de Pernambuco - Foto: Reprodução/Google Street View

Investigações do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) apontam que 14.170 servidores estaduais e municipais, ativos e inativos, receberam de forma indevida o auxílio emergencial. O MPPE estima que o pagamento indevido do auxílio teria chegado a um montante de R$ 9.965.400,00.

Segundo a apuração - conduzida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Núcleo de Inteligência do MPPE (Nimppe) - servidores com vínculos municipal ou estadual, e que integravam a folha de pagamento do poder público em abril de 2020, teriam sido contemplados com o auxílio emergencial indevidamente. O MPPE não divulgou a lista com os nomes dos servidores.
 

“A partir de notícias recebidas sobre a possibilidade de existência de servidores receberem indevidamente o auxílio emergencial, o Gaeco e o Nimppe partiram para um levantamento e um cruzamento de dados a fim de aferir as denúncias. Ainda é um levantamento preambular, que será disponibilizado aos promotores de Justiça de cada município para que deem continuidade às apurações”, afirmou o coordenador do Gaeco, o promotor de Justiça George Diógenes Pessoa.

O MPPE ressalta que os servidores identificados nas investigações podem ter sido vítimas de fraudadores, que usaram seus dados para conseguir receber o auxílio. “Há um indício de fraude, quer seja por parte do servidor ou de alguém que usou indevidamente os dados dele”, salientou o promotor.

As cidades de Petrolina, Pesqueira, Garanhuns e Saloá são as que possuem a maior quantidade de servidores na lista de irregularidades. O levantamento será encaminhado aos promotores de Justiça dos respectivos municípios, que deverão aprofundar as investigações sobre a possível fraude.

Servidores estaduais
Em nota enviada à reportagem, a Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE) informou que "ainda não tem conhecimento oficial dos dados divulgados". "Possivelmente, assim como ocorreu com os levantamentos realizados anteriormente pela Controladoria-Geral da União (CGU) e pelo Tribunal de Contas da União (TCU), quase a totalidade desses 14 mil servidores integram as administrações municipais ou fazem parte dos demais poderes", diz o texto.

O Governo de Pernambuco ainda ressalta que já vem atuando com base nos levantamentos da CGU e TCU, que identificaram 31 servidores estaduais em situação irregular. Todos estão sendo notificados pelos seus órgãos de origem e, até o momento, 10 devolveram a quantia paga pelo Governo Federal e, desse total, seis foram exonerados da administração pública estadual.
 

Veja também

Preço do etanol atinge maior nível para outubro desde 2016
Combustível

Preço do etanol atinge maior nível para outubro desde 2016

Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira prêmio acumulado de R$ 32 milhões
Loterias

Mega-Sena sorteia nesta quinta prêmio acumulado de R$ 32 milhões