Mais de 18 marcas suspendem compra de couro brasileiro por incêndios na Amazônia

A suspensão está relacionada às queimadas na região amazônica

AmazôniaAmazônia - Foto: Lula Sampaio/AFP

Marcas internacionais, como Timberland, Vans e Kipling, suspenderam a compra de couro brasileiro devido às notícias relacionando as queimadas na região amazônica com o agronegócio no país, segundo informações do CICB (Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil) enviadas ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, nessa terça-feira (27).

"Recentemente, recebemos com muita preocupação o comunicado de suspensão de compras de couros a partir do Brasil de alguns dos principais importadores mundiais. Este cancelamento foi justificado em função de notícias relacionando queimadas na região amazônica ao agronegócio do país", disse o presidente da CICB, José Fernando Bello, no documento.

Leia também:
Governo libera R$ 38 milhões para ações na Amazônia
Bolsonaro acusa Macron de "disfarçar suas intenções" sobre a Amazônia
Bolsonaro está fazendo um grande trabalho na Amazônia, diz Trump

Entre as marcas que já solicitaram a suspensão de compra de couro do Brasil estão Timberland, Dickies, Kipling, Vans, Kodiak, Terra, Walls, Workrite, Eagle Creek, Eastpack, JanSport, The North Face, Napapijri, Bulwark, Altra, Icebreaker, Smartwoll e Horace Small.

"Entendemos com muita clareza o panorama que se dispõe nesta situação, com uma interpretação errônea do comércio e da política internacionais acerca do que realmente ocorre no Brasil e o trabalho do governo e da iniciativa privada com as melhores práticas em manejo, gestão e sustentabilidade", afirmou Bello. No documento, ele também pede ao ministério uma atenção especial à situação a qual o setor enfrenta, afirmando que é "inegável a demanda de contenção de danos à imagem do país no mercado externo sobre as questões amazônicas".

Veja também

Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
Economia

Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol

Mega-Sena deve pagar R$ 22 milhões neste sábado
Sorteio

Mega-Sena deve pagar R$ 22 milhões neste sábado