Matrícula da escola particular exige planejamento dos pais

Em tempos de crise, especialistas já recomendam aos pais que tentem negociar descontos com os colégios

O Grande Circo MísticoO Grande Circo Místico - Foto: Divulgação

O ano está chegando ao fim. Com isso, os pais e responsáveis que têm filhos em escolas particulares já começam a pensar no reajuste da mensalidade e na matrícula. Se isso já era motivo de preocupação para as famílias antes da crise, imagine agora. Só no primeiro semestre já foi visto que, com o aumento do desemprego e o aprofundamento da recessão, a migração de alunos para a rede pública foi bastante impactante. Dos 49 mil novatos das escolas estaduais, 16 mil vieram das particulares.

Ou seja, se continuar na escola particular for uma prioridade, toda cautela será necessária na hora de planejar e preparar o orçamento. O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Pernambuco (Sinepe), José Ricardo Diniz, informou que, assim como está pesado para os pais, as escolas também têm dificuldades e precisam se organizar. “Para ter educação de qualidade também é preciso investir. Compreendemos o momento de dificuldade, mas os diretores já estão trabalhando com os pés no chão”, comentou. Isso, segundo ele, significa que será pouco provável ver ações como a oferta de descontos no próximo ano.

Diante desses empecilhos, a dica é se organizar desde já. É o que aponta o economista e educador financeiro Roberto Ferreira. “É importante que os pais se antecipem e conversem com a instituição, antes do ano acabar, a fim de conseguir descontos e valores sem o reajuste previsto para 2017”, comentou. Outro conselho é que se aproveite o 13º salário e a restituição do Imposto de Renda para fazer pagamentos do que for prioridade, inclusive sanar dívidas ou antecipar mensalidades escolares.

Algumas escolas, por outro lado, estão se virando como podem e tentam facilitar neste momento. O Instituto Lubienska, situado no bairro da Torre, é um deles. Segundo a diretora administrativa de finanças da escola, Ilka Andrade, as reservas de matrículas começam logo hoje, pois quando se deixa tudo para janeiro fica mais ‘pesado’ para o orçamento familiar. Já os valores e taxas cobradas não sofrerão modificação, serão iguais às de 2016. Além disso, oferece outras formas de pagamento, como cheque e cartão de crédito. O que permite que o valor da matricula seja parcelado.

“É importante fazer ações deste tipo para tirarmos os pais do sufoco e já fazer uma contabilidade de quantos alunos continuarão conosco no próximo ano”, comentou Ilka. E acrescentou: “O mesmo vale para novatos”. Para aqueles que deixarem para mais tarde, em novembro - por exemplo, talvez já não seja possível ofertar as mesmas condições especiais. Por isso, Roberto Ferreira insisite: quanto mais cedo se negociar, mais fácil será "pechinchar".

Veja também

Não dá para ficar muito tempo mais com auxílio, diz Bolsonaro
Auxílio Emergencial

Não dá para ficar muito tempo mais com auxílio, diz Bolsonaro

INSS define como comprovar vida de beneficiário que mora no exterior
Benefício

INSS define como comprovar vida de beneficiário que mora no exterior