Mega-Sena da Virada: uma semana para sonhar

Pode ser a chance de mudar de vida em 2017. Até agora, o prêmio está em R$ 200 mi

Fernando Santa Cruz, morto em 1974.Fernando Santa Cruz, morto em 1974. - Foto: Divulgação

Já pensou em começar o ano novo com R$ 200 milhões na conta? Pois é assim que o vencedor da Mega da Virada vai receber 2017. E muitos brasileiros já estão apostando para tentar ser o sortudo da vez. Afinal, depois de um ano tão difícil economicamente como este, o prêmio pode colocar a vida de muita gente nos prumos. A esperança é tanta que a Caixa Econômica Federal espera receber 200 milhões de apostas até às 14h do dia 31, o que representaria uma arrecadação de R$ 700 milhões.

Segundo o banco, o número de apostas deve superar o do ano passado mesmo com uma possível redução do prêmio. Em 2015, R$ 246,5 milhões foram sorteados para seis sortudos. Este ano, por sua vez, o prêmio só passará dos R$ 200 milhões caso a Mega-Sena de Natal acumule ou o número de apostas supere o esperado. Isso porque só 43,5% do valor arrecadado são destinados ao prêmio, que ainda tem o Imposto de Renda descontado antes de ser entregue ao sortudo. Os 56,5% restantes são destinados ao Governo Federal para investimentos em despesas como saúde e educação, além de remuneração dos lotéricos, custeio da Caixa e aplicação no Fundo de Desenvolvimento das Loterias (FDL).

A possível perda de R$ 46,5 milhões, contudo, não está incomodando os brasileiros. Nas filas das loterias, o sentimento é de que o prêmio já é mais que suficiente para organizar a vida do ponto de vista financeiro. “Com R$ 200 milhões poderia mudar totalmente de vida e ainda teria dinheiro para ajudar outras pessoas”, diz a caixa Mércia Alexandre, de 44 anos, que, se fosse a premiada, iria comprar uma casa, um carro e colocar toda a família para estudar. Quem também gostaria de ajudar a família com o prêmio é o analista Melk Santana, de 41 anos. “Deixaria a vida dos meus pais equilibrada e ficaria dez anos sem trabalhar,”, diz Melk, que vai apostar duas vezes para garantir a sorte.

E tem gente que vai investir bem mais no concurso. O militar José Euclides dos Santos, de 65 anos, por exemplo, vai gastar quase R$ 100 apostando. “Já fiz 18 jogos e até o dia 31 vou fazer mais”, disse, contando que todo ano compra a Mega da Virada e gosta de jogar sozinho para não ter que dividir o prêmio caso ganhe através de um bolão.

Outra tática para correr atrás da sorte é dividir as apostas em loterias diferentes, como faz o vigilante Daniel Santos Lira, de 46 anos. “Já joguei em três lugares para poder ter mais chance”, revelou Daniel, que também pensou muito nos números: primeiro apostou os que lhe dão sorte e depois ainda arriscou nos aleatórios do bolão.

Quem gosta dessa persistência são os donos das loterias, que veem o movimento multiplicar no final do ano com as apostas da Mega da Virada. “Dobramos nosso faturamento em dezembro por causa do jogo. É assim que tiro o décimo terceiro dos nossos funcionários”, contou a proprietária da Loteria Ouro Verde, Rosana Araújo.

No Centro do Recife, a casa passou a oferecer os talões especiais da Mega da Virada a partir de novembro e, desde então, não teve um dia sequer em que não recebesse uma aposta. “A Mega já é líder de apostas naturalmente e, nesta época, fica ainda mais na frente. São quase 200 apostas por dia”, revelou Rosana.

Como administrar
Depois de planejar as táticas da aposta, o sortudo que levar os R$ 200 milhões para casa também vai ter que pensar em como usar a bolada depois de comemorar o sorteio.

Educadores financeiros explicam que, do mesmo jeito que o prêmio pode ser a fonte de renda do vencedor pelo resto da vida, ele pode render menos que o esperado se for mal administrado. Por isso, é preciso planejar os investimentos.

“Com 200 milhões, é possível ter uma renda líquida mensal de R$ 2 milhões para o resto da vida. O ideal é não consumir os R$ 2 milhões, mas mesmo assim a renda fica bem acima da média nacional. É dinheiro suficiente para manter um padrão de vida confortável por toda a vida. Mas também é possível perder todo esse dinheiro com atitudes que não são inteligentes da perspectiva financeira, como gastar sem fazer contas e pagar tudo para todos”, argumentou o financista Arthur Lemos.

Lemos explica que, apesar de o dinheiro render R$ 1,2 milhão por mês na poupança, a aplicação não é recomendada porque tem registrado um rendimento inferior. “Outros produtos financeiros, como o Tesouro Direto e o Certificado de Depósito Bancário, são mais rentáveis. E, com R$ 200 milhões, ainda é possível ter acesso a produtos como debêntures e letras de câmbio”, revelou. Outra alternativa, segundo o planejador financeiro Paulo Marostica, é colocar o dinheiro em bancos e títulos de países que apresentam um risco menor que o Brasil. “Para fazer o dinheiro render, é recomendado dividir o risco. Por isso, uma boa opção é colocar parte do prêmio em bancos de países sólidos como Estados Unidos, Alemanha e Inglaterra”, recomenda.

Os especialistas dizem, contudo, que é preciso avaliar o perfil e os objetivos do investidor antes de apontar a melhor solução. Por isso, o mais recomendado é procurar o auxílio de um especialista para gerenciar os recursos sorteados. Lemos ainda pede parcimônia dos que querem fazer uma fezinha na Mega da Virada. Afinal, não vale desorganizar o orçamento deste mês para apostar em um jogo tão arriscado quanto a loteria - segundo a Caixa, a chance de acertar todos os seis números é de uma em 50 milhões. Para quem ainda pretende apostar na Mega da Virada, o bilhete de seis números custa R$ 3,50.

Veja também

Comércio varejista cresce 0,6% em fevereiro, diz IBGE
Economia

Comércio varejista cresce 0,6% em fevereiro, diz IBGE

PCR oferece 130 vagas em cursos profissionalizantes para participantes do Mãe Coruja
OPORTUNIDADE

PCR oferece 130 vagas em cursos profissionalizantes no Mãe Coruja