Mercado de imóveis reduz custos para crescer em 2017

Construtores e arquitetos estão apostando em materiais "verdes" e nos projetos mais baratos

Audiência sobre a Chesf na AlepeAudiência sobre a Chesf na Alepe - Foto: Branca Alves/Folha de Pernambuco

 

A construção civil e a arquitetura já definiram as tendências para 2017. Torcendo por um ano melhor e de mais vendas, o segmento está apostando em dois caminhos para superar a crise econômica: em materiais ecológicos e no menor custo. Os profissionais da área acreditam que mesmo com o consumidor optando por fazer apenas pequenas reformas, seja no banheiro, no quarto ou na sala, o setor ao poucos vai voltando a crescer. Entre as opções de destaque estão o porcelanato em HD, lâmpadas de LED que barateiam a conta de luz, cortinas e persianas que protegem o ambiente, peças em poliuretano que podem ser usadas como decoração e tintas mais neutras que harmonizam o ambiente. Com orçamento apertado, muitas famílias pretendem fazer mudanças mínimas em casa.

 “As grandes reformas vão ser deixadas de lado. Como a ideia é economizar, as reformas serão por partes. Um cômodo por vez”, comentou o superintendente comercial da Elizabeth, Juarez Junior. Para o superintendente, o importante é saber o local que vai ser transformado e buscar o melhor preço.
E o toque “verde” promete chegar com tudo nos projetos de arquitetura do ano que vem. Profissionais de construção têm se preocupado com a quantidade de recursos naturais e como eles estão sendo aproveitados. "Usar ambientes mais naturais é necessário, o planeta pede isso. Investir no produto ecológico, além de ajudar o meio ambiente, dá um toque de bom gosto”, afirmou o gerente de design e marketing da tintas Sherwin-Williams, Carol Derov.

Porcelanato
Influenciados pelas tendências italianas, alguns porcelanatos vão utilizar tecnologia HD. Cores e imagens podem ser aplicados ao gosto dos clientes. “Esse produto veio para revolucionar o mercado no próximo ano. Antes a porcelana chegava pronta. Essa nova proposta possibilita ao consumidor colocar o seu jeito e gosto na peça”, afirmou Juarez.

LED
Dois importantes ganhos para quem optar pelo led. Esse tipo de iluminação é mais barato e não consome tanto quanto a lâmpadas convencionais. Ela também é ecológica, não tem materiais químicos que poluem o ambiente. “O led é um pouco mais caro.

Porém o benefício é muito maior, pois a durabilidade é muito maior e a conta de energia ao longo de um ano vai reduzir bastante”, aconselhou a coordenadora de marketing da Lumicenter Tamyres Hein.
Persiana e Cortina
Usadas como coringa, as tendências para 2017 serão de cores neutras para combinar com os móveis e decoração da casa. “Além da estética, cortinas e persianas têm objetivo de proteger do calor e não deixar que os imóveis queimem, perdendo as características normais”, comentou franquiada da loja Requinte Karina Gouveia.

Poliuretano
É um produto sólido, com textura de espuma e aparência entre a cortiça e o poliestireno expandido (isopor). Através dessa matéria-prima podem ser criados revestimentos decorativos, como paredes de tijolos “falsos”. “Quem não quer quebrar a parede, mas quer um estilo mais retrô no quarto ou sala, esse produto é o recomendado. Com ele é possível brincar e criar as mais diversas formas para o ambiente”, disse o arquiteto Fred Mota.

Tintas
As cores neutras são a aposta para o próximo ano. Cinzas, amarronzados, ama­relados ou beges. As pigmentações estão voltadas para as questões ambientais, para o cuidado com o planeta e suas futuras gerações. “Temos que pensar na terra. Essas cores são voltadas para ambientes mais naturais, inexplorados, livres do toque humano”, comentou Carol Derov.

 

Veja também

Contas públicas têm déficit de R$ 64,5 bilhões em setembro, diz BC
Banco Central

Contas públicas têm déficit de R$ 64,5 bilhões em setembro, diz BC

Mercado de trabalho tem queda generalizada e recordes negativos
Economia

Mercado de trabalho tem queda generalizada e recordes negativos